Juiz do caso Eyke Batista tem aposentadoria pedida pelo MPF

O MPF/RJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro) pediu hoje (30) ao TRF2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) a aplicação da pena disciplinar de aposentadoria, com vencimentos proporcionais ao tempo de serviço, ao juiz Flávio Roberto de Souza.

Empresário Eike Batista (Foto: Divulgação)
Empresário Eike Batista (Foto: Divulgação)

O magistrado responde a procedimentos administrativos por atuação irregular em processo contra o empresário Eike Batista.

De acordo com o MPF, depois da apreensão de bens de Eike Batista, foram constatados custódia irregular e uso de alguns bens, como três veículos, um piano e uma cópia de ovo Fabergé (peça que, quando original, tem  alto valor econômico, remontando ao período dos czares russos) e sete relógios do empresário.

O MPF considerou que o ex-titular da 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, responsável pelo processo a que Eike responde por crimes contra o mercado de capitais, agiu de forma incompatível com o decoro da função e teve comportamento funcional incompatível com o bom desempenho das atividades do Judiciário. Flávio Roberto de Souza já tinha sido afastado da 3ª Vara em março.

AGÊNCIA BRASIL

Comentários

comentários