Juiz aceita delação premiada de Otero e decreta sigilo sobre novos nomes

O pedido de delação premiada feito por Fabiano Viana Otero, apontado como chefe de suposto esquema de exploração sexual de adolescentes, foi aceito pelo juiz da 7ª Cara Criminal, Marcelo Ivo de Oliveira.

O magistrado homologou o acordo e decretou sigilo nas investigações que devem revelar os nomes de mais envolvidos no esquema.

Apenas o promotor de Justiça, o delegado Paulo Sérgio Lauretto, titular da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), e o advogado de defesa, Amilton Ferreira de Almeida, poderão ter acesso aos autos do inquérito.

A homologação se deu após o acusado prometer entregar o nome de políticos e autoridades, num total de 10, envolvidos no escândalo sexual.

Otero foi preso no domingo (26), na casa da mãe dele e transferido para a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). Ele teve a prisão preventiva decretada e era considerado foragido. O suspeito foi indiciado pelos crimes de exploração sexual, induzir adolescentes a incorrer em ilícito penal e extorsão.

Além de Fabiano, foram indiciados pelos mesmos crimes Luciano Pageu e o ex-vereador da Capital, Robson Martins. Os dois últimos foram presos em flagrante quando recebiam mais uma parcela da extorsão contra o ex-vereador Alceu Bueno que aparece em vídeo – segundo as acusações – mantendo relações sexuais com duas adolescentes.

O ex-vereador Alceu Bueno e o ex-deputado estadual Sérgio Assis, que também teriam sido identificado em outro vídeo com adolescentes, foram indiciados por exploração sexual. Alceu renunciou, na semana passada, ao cargo de presidente estadual do PSL e renunciou ao cargo de vereador na manhã desta terça-feira (28). O mesmo fez Sérgio Assis que, antes de ser expulso, desfiliou-se do PSB.

 

A partir de agora, Fabiano Otero será ouvido pelo promotor de Justiça, Celso Botelho, e pelo delegado. Ele prometeu entregar mais gravações e 10 nomes, sendo que a maior parte seria é de políticos.

Os benefícios da delação premiada podem incluir redução da pena e ate absolvição completa.

Comentários

comentários