Jogou pedra na santa cruz; Corinthians vence Santinha, quebra jejum e encosta no G-6

Depois de seis rodadas, o Corinthians finalmente voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. E o time alvinegro contou com a ajuda de um jogador que ficou mais de um mês afastado por conta de lesão: Guilherme. O meia-atacante atuou de ‘falso 9′ nesta quarta-feira, marcou dois gols e ajudou o Corinthians a bater o Santa Cruz por 4 a 2, na Arena Pantanal, em duelo válido pela 30ª rodada do Brasileirão. Marlone e Lucca fizeram os outros gols corintianos, enquanto Grafite e Keno descontaram para os pernambucanos.

ESPN
ESPN

Com o resultado positivo, o Corinthians salta para 45 pontos na tabela, na oitava posição. A equipe paulista tenta se aproximar dos seis primeiros colocados do Brasileiro, que garantem vaga na Copa Libertadores da próxima temporada. Atualmente, o sexto colocado é o Fluminense, com 46 pontos.

Já o Santa Cruz, que vendeu o mando de campo nesta quarta para ter maior retorno financeiro, permanece com apenas 23 pontos, na 19ª colocação, mais próximo de disputar a Série B no ano de 2017.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Corinthians, que vive a expectativa da possível chegada do técnico Oswaldo de Oliveira ao clube, volta a campo no domingo, às 18h30, quando recebe o lanterna América-MG. Já o Santa Cruz tem encontro marcado no mesmo dia, também às 18h30, diante da Ponte Preta, em Campinas. A equipe pernambucana perdeu nas últimas cinco rodadas da competição nacional.

Contando com a maioria do público a seu favor na Arena Pantanal, para onde o Santa Cruz levou a partida com a intenção de lucrar, o Corinthians ficou próximo de satisfazer o seu público logo no primeiro minuto. Marquinhos Gabriel avançou pela direita e fez ótima enfiada de bola para Marlone, que, livre do outro lado, chutou para fora.

O Corinthians até tentou aproveitar o susto que deu no Santa Cruz para assumir o controle do jogo. Não conseguiu. Em pouco tempo, a equipe pernambucana conteve as triangulações entre Giovanni Augusto, Rodriguinho, Marquinhos Gabriel e Marlone e passou a incomodar principalmente com a movimentação de Keno, que sempre procurava Grafite dentro da área.

O problema era que o veterano centroavante do Santa Cruz e o próprio Keno não pareciam estar em uma noite inspirada para finalizar a gol. Eles batiam fraco ou sem direção quando tinham a oportunidade. Aos 26 minutos, contudo, Grafite recebeu uma enfiada de bola na esquerda, ganhou de Pedro Henrique (que pediu falta no lance) na força, levou para a linha de fundo e soltou o pé. Parou no goleiro Walter e na trave.

GAVIÃO SÓ OBSERVA

O gol sairia três minutos mais tarde. Em outra investida pela esquerda, Keno foi bem lançado em profundidade por Uillian Correia e concluiu colocado. Walter deu rebote, e, desta vez, Grafite não perdoou. O centroavante arrematou firme, acertando o travessão e a rede, para inaugurar o marcador na Arena Pantanal.

O pouco criativo Corinthians se lançou ao ataque a partir de então, empurrado pelos berros de um frenético Fábio Carille. Reclamou de um pênalti de Danny Morais em Léo Príncipe aos 36 e achou o gol de empate no minuto seguinte. Marlone recebeu um passe de calcanhar de Giovanni Augusto na lateral direita, correu em direção à área e cruzou. Lá dentro, o até então apagado Guilherme dominou a bola e bateu no canto, certeiro.

A igualdade reanimou o Corinthians, que foi para o vestiário confiante no intervalo. Do outro lado, havia abatimento entre Grafite e seus companheiros. A frustração aumentaria logo aos dois minutos do segundo tempo. Acionado por Camacho na ponta direita, Marlone fez bela jogada ao puxar a bola para dentro e chutar cruzado, na rede.

Com a sua torcida em êxtase, o Corinthians não diminuiu o ritmo e aumentou a vantagem sobre o Santa Cruz rapidamente. Aos nove, Giovanni Augusto levantou a bola na área, e Guilherme mostrou o oportunismo de um centroavante de origem para cabecear, de peixinho, para dentro.

ONDE OS SANTOS NÃO TEM VEZ                                                                                   O Santa Cruz se desestabilizou ainda mais. O técnico Doriva procurou recuperar o seu time com as entradas de Marion, Bruno Moraes e Wagner nos lugares de Jadson, Grafite e João Paulo. No Corinthians, Fábio Carille irritou a torcida ao promover alterações defensivas, com o contestado Willians e Cristian nas vagas de Camacho e Giovanni Augusto.

Chamando o Santa Cruz para o campo de ataque, o time corintiano acabou castigado. Aos 35, Keno tirou proveito de uma sobra de bola na entrada da área, depois de boa troca de passes, e calibrou o pé para colocar no canto da meta defendida por Walter. A reação pernambucana, contudo, parou aí, apesar da pressão que o Corinthians aceitou nos minutos finais de partida.

Aos 46 minutos, veio o alívio para o time de Fábio Carille. Após Marlone cobrar uma falta da direita, a bola sobrou para Marquinhos Gabriel cruzar do outro lado. Lucca, que havia substituído Guilherme, esticou-se com um carrinho para fechar a contagem na Arena Pantanal.

FICHA TÉCNICA:
SANTA CRUZ 2 X 4 CORINTHIANS

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 12 de outubro de 2016, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Assistentes: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ)
Cartões amarelos: Néris e Marion (Santa Cruz); Marquinhos Gabriel e Willians (Corinthians)
Gols: SANTA CRUZ: Grafite, aos 29 minutos do primeiro tempo, e Keno, aos 35 minutos do segundo tempo; CORINTHIANS: Guilherme, aos 37 minutos do primeiro tempo e aos 9 minutos do segundo tempo; Marlone, aos 2, e Lucca, aos 46 minutos do segundo tempo

SANTA CRUZ: Edson Kolln; Léo Moura, Néris, Danny Morais e Roberto; Uillian Correia, Jadson (Marion) e João Paulo (Wagner); Arthur, Grafite (Bruno Moraes) e Keno. Técnico: Doriva

CORINTHIANS: Walter; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Balbuena e Uendel; Camacho (Willians), Giovanni Augusto (Cristian), Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Marlone; Guilherme (Lucca). Técnico: Fábio Carille

 

Comentários

comentários