Jogadores de Pokémon Go são vítimas de série de assaltos no Parque das Nações

Logo após o lançamento do Pokémon Go, game que virou febre no Brasil e no mundo, as ocorrências de roubo pipocarem em Campo Grande. Somente nos últimos três dias, várias pessoas tiveram o celular roubado enquanto tentavam capturar os personagens do jogo.

A redação do Página Brazil, por meio do WhatsApp, recebeu denúncia de que três adolescentes foram vítimas de roubos de celulares no Parque das Nações Indígenas na tarde de ontem (25). A criminalidade da região aumentou devido aos ‘caçadores’ de pokémon.

Foto: Mário Hada
Foto: Mário Hada

O Comandante do Policiamento Metropolitano, coronel da Polícia Militar Waldir Ribeiro Acosta, alerta a população sobre os riscos que o aplicativo está causando. Segundo o coronel, as pessoas ficam distraídas com o jogo e acabam facilitando as ações dos bandidos. “Além disso, também tem o risco de se envolver em acidente de trânsito enquanto atravessam uma rua sem prestar atenção”, alertou.

Para evitar assaltos, o coronel alerta para que caçadores de pokémon evitem lugares escuros, com pouco fluxo de pessoas e em determinados horários.

Questionado sobre os assaltos na região do parque, o coronel afirmou que existe policiamento no local, com a cavalaria da Polícia Militar que faz patrulhamento. “Mas se acontece ocorrência fora do parque, os militares saem para atender. Essa equipe não é exclusiva do local”, informou.

Conforme o coronel, mais três caçadores de pokémon foram assaltados na manhã desta sexta-feira (26) na região do parque das Nações, mas nenhum deles dentro do local. “Duas viaturas da Polícia Militar foram até os locais e as vítimas foram atendidas”, explicou.

Para o militar, todos os casos devem ser registrados na Polícia Civil. Quanto ao parque ele reconhece a dificuldade de localizar os marginais, “Lá é muito amplo, eles se misturam. Por enquanto o melhor é evitar ir em grupos pequenos”, salientou.

 

 

Comentários

comentários