Jogador do Ceará dedica o gol a cachorro, leva susto e diz palavrão

Marinho faz o gol do empate em 3 a 3 com o Santa Cruz nos acréscimos, leva cartão por comemoração e depois diz não acreditar que está supenso na próxima rodada: ‘Que m…’

No dramático empate em 3 a 3 entre Ceará e Santa Cruz, com cada time fazendo um gol nos acréscimos e com o resultado sendo horrível para ambos (seguem na zona de rebaixamento da Série B) quem roubou a cena foi Marinho. O jogador do Ceará, dono de um ousado look, com o cabelo descolorido e moicano, marcou dois gols para o time cearense e, na comemoração do último, aos 48 da etapa final, tirou a camisa e levou o terceiro amarelo, que o tira da próxima partida, na sexta-feira, contra o Oeste.

Marinho roubou a cena na entrevista após o jogo (Foto: Reprodução/Sportv)
Marinho roubou a cena na entrevista após o jogo (Foto: Reprodução/Sportv)

E foi no fim da partida que ele surpreendeu. Quando foi perguntado sobre o cartão que levara e o fato de estar fora da próxima partida, ele tomou um susto.

– Foi mesmo? Estou fora? Que m… – disse à SporTV.

– Eu não sabia que estava com dois cartões. Jurava que tinha só aquele que eu levei contra o Atlético-GO, também por ter comemorado um gol tirando a camisa. Vou ter de me segurar na comemoração – concluiu.

Não satisfeito, quando era entrevistado pelas rádios e estava sendo ovacionado pela torcida, Marinho resolveu dedicar o gol para um personagem improvável, o seu cão da raça golden retrevier.

– Quero dedicar ao meu cachorro, o Pepe, que eu tenho tatuado no corpo. Fiz para ele. Mas também quero dedicar aos meus amigos lá do Náutico, felizes com o gol que marquei em cima do Santinha – disse Marinho, que vem sendo sondado para jogar no futebol mexicano.

O jogo, alías, teve um quê de canino. Afinal, precisou ser interrompido por alguns minutos pois uma cadelinha invadiu o gramado e ficou correndo no meio dos jogadores. Um segurança conseguiu colocar uma coleirinha nela e a tirou do campo, passando o restante do jogo passseando o cão.

Em campo, o Ceará atuou com muita raça, pois ficou com dez jogadores desde os 22 minutos, quando o goleiro Tiago fez pênalti e levou vermelho. Na cobrança, Anderson Aquino abriu o placar para o Santa Cruz. Irritado, o treinador Silas também foi expulso e foi, camufladamente, para a arquibancada comandar o time. Aos 31, Marinho fez grande jogada e cruzou para Roger Gaúcho, que chutou duas vezes para empatar.
Foi seu primeiro gol no Ceará. Na etapa final, aos 20 minutos, Anderson Aquino, de cabeça, recolocou o Santinha na frente. Só que mais uma vez o Ceará foi atrás do empate e conseguiu o sucesso graças a uma ajudinha da arbitragem. Nininho caiu na área e o juiz marcou pênalti. Marinho cobrou e empatou.

O final do jogo foi dramático. Aos 46 minutos, num erro da marcação, o veterano Valdson, ex-jogador do Fortaleza, recebeu na área e fez 3 a 2 para os pernambucanos. A derrota do Ceará era iminente, só que o time da casa se mandou para o ataque e, aos 48, após escanteio, a bola sobrou para Marinho, fora da área. O heroi da tarde tirou dois zagueiros e chutou de canhota. Encoberto pelos muitos jogadores à sua frente e com a bola batendo num companheiro, o goleiro chegou atrasado na bola: 3 a 3.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários