João Rocha nega golpe contra Bernal; “o que existem são processos na Justiça”

O novo presidente da Câmara de Vereadores, Prof.João Rocha (PSDB) negou a existência de qualquer movimento “golpista” contra o prefeito Alcides Bernal (PP).

Foto Silvio Ferreira
Foto Silvio Ferreira

“O que existem são processos que tramitam na Justiça [contra o prefeito], sobre os quais o Tribunal de Justiça (TJMS) decidirá”, contextualizou.

“À Câmara Municipal não cabe nenhum movimento ou ação além dos que lhe são atribuídos por lei e pelo Regimento Interno de Casa. Caso a Justiça julgue estes casos e decida por um eventual novo afastamento [do prefeito], caberia ao presidente da Câmara – fosse ele o ex-presidente Flávio César (PTdoB), seja o atual presidente (ele mesmo) – assumir à função, mas única e exclusivamente pelo que regem às normas legais”, ponderou João Rocha.

“Logo, não é ao vereador João Rocha que caberia esse papel, mas sim àquele que estiver na presidência da Casa, seja ele quem for, de acordo com o que determina a Lei”, considerou.

A polêmica e a suspeita de um “novo golpe contra Bernal” foi levantada após a circulação de uma mensagem, via whatsapp, que afirmaria que agora que a Câmara possuía um novo presidente, os casos contra o prefeito já podiam ser julgados. Circulou na Casa que autoria da mensagem seria da vereadora Magali Piccarelli, que prontamente negou à suspeita sobre seu nome: “Esta história não tem fundamento nenhum. É um absurdo!”, declarou a vereadora, desqualificando à suspeita. 

Sobre sua expectativa sobre os processos por improbidade administrativa que tramitam contra o prefeito na Justiça, bem como com relação as suspeitas levantadas por Bernal de um suposto “novo movimento golpista” contra seu mandato, o chefe do Executivo declarou, quando deixava à Casa após reunião com João Rocha: “Eu confio na Justiça, ainda”.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários