Japão volta a ser atingido por tremor nesta sexta-feira

Um terremoto de magnitude 7.0 atingiu o sul do Japão nesta sexta-feira (15) no horário de Brasília, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês). Um alerta de tsunami foi lançado para os mares de Ariake e Yatsushiro, mas logo as autoridades reduziram a expectativa de estragos, segundo a Reuters.

Desde quinta-feira (14), mais de 130 réplicas atingiram a região, inclusive alguns de elevada intensidade,segundo a Agência Meteorológica do Japão (JMA).

Inicialmente, a magnitude do tremor foi estimada em 7.1, revisada em seguida para 7.0. Ainda não se sabe se o abalo desta sexta provocou estragos nessa região que já tinha sofrido fortes abalos na quinta-feira.

Após os tremores de quinta, prédios e casas desabaram. Pelo menos nove pessoas morreram e 1.126 ficaram feridas, sendo 50 em estado grave, segundo dados divulgados nesta sexta pelas autoridades japonesas. Equipes de resgate ainda buscava sobreviventes sob os destroços quando o novo tremor atingiu o país.

350

Um bebê de oito meses foi resgatado dos escombros. A mãe e a avó também estavam na casa que desabou e precisaram ser socorridas.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, se deslocará no sábado à zona do terremoto, onde visitará alguns dos afetados, enquanto o Ministério da Defesa enviou cerca de 1,7 mil soldados das forças de Autodefesa para ajudar os municípios afetados.

Abe afirmou nesta sexta-feira que o governo e os serviços de resgate “estão fazendo todo o possível e trabalhando contra o relógio para salvar vidas”, em declarações feitas após uma reunião de emergência do Executivo e recolhidas pela rede “NHK”.

O terremoto também deixou cerca de 15 mil casas sem eletricidade e causou a suspensão do serviço ferroviário de alta velocidade (Shinkansen) em Kyushu, assim como de outras linhas locais.

Círculo de fogo do Pacífico

O Japão está localizado sobre o chamado “Círculo de Fogo do Pacífico”, uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos com relativa frequência. De acordo com a France Presse, o país chega cada ano registrar mais de 20% dos terremotos mais fortes do planeta. A infraestrutura do país foi desenvolvida especialmente para suportar os tremores.

Em 2011, um terremoto de magnitude 8,9 atingiu a costa nordeste do Japão, gerando um tsunami de até dez metros de altura que varreu a costa do país.

G1

Comentários

comentários