Invenções de Osorio funcionam no São Paulo e ele mesmo explica

A semana começou turbulenta para o São Paulo: incomodado com o desmanche do elenco, com as três derrotas seguidas e com uma misteriosa mensagem de um dirigente, o técnico Juan Carlos Osorio pensou em pedir demissão para ouvir o convite da seleção do México.

Jogadores comemoram gol contra o Ceará (Foto: Divulgação)
Jogadores comemoram gol contra o Ceará (Foto: Divulgação)

Em dois dias, o cenário mudou e o São Paulo pôs fim à breve crise ao vencer o Ceará por 3 a 0 e avançar às quartas de final da Copa do Brasil. E com bons momentos de algumas invenções de Osorio.

O lateral esquerdo Carlinhos jogou no ataque, na ponta direita, mais uma vez. No segundo tempo, o volante Thiago Mendes virou centroavante. O primeiro sofreu o pênalti que resultou no primeiro gol, de Rogério Ceni. O segundo ganhou aprovação de Osorio ao estrear em uma posição em que jamais havia atuado.

“Acho que é muito difícil jogar contra um time que recua e defende com todos. Precisamos de dois jogadores que vão pra cima. Decidimos por Alexandre e por Carlinhos, tentamos ter jogo pelos lados”, falou Osorio ao justificar Carlinhos, lateral, no ataque.

Thiago Mendes marcou o segundo gol do jogo em batida de fora da área quando ainda atuava como volante. No início do segundo tempo, Osorio teve de tirar o colombiano Wilder, titular, por falta de condição física. Mesmo com a possibilidade de colocar o jovem atacante João Paulo, preferiu o improviso de Thiago Mendes.

O treinador justifica que já queria tirar Thiago do meio de campo porque o volante já tinha o cartão amarelo, mas explica que tem treinado com ele como atacante para que possa vir a exercer a função em determinados momentos.

“Eu fico intranquilo quando alguém de nós tem cartão amarelo. Tentei manter no jogo o Thiago, mas em outra posição, de menos contato. Pensei que com sua velocidade poderia jogar de centroavante. Treinamos com ele assim no CT. Acho que todos conhecemos a habilidade e a capacidade do Thiago para jogar como segundo meia, como um meia de ida e volta. Mas como volante, protegendo a defesa, ele melhorou através do treinamento e agora é muito importante para o equilíbrio do time”, elogiou o treinador.

Após a partida no Castelão, Carlinhos também falou sobre a atuação no ataque. É o terceiro jogo seguido em que o lateral esquerdo joga no trio ofensivo – no primeiro como ponta esquerda, nos dois últimos como ponta direita. O jogador ressaltou a assistência em cobrança de escanteio que deu na derrota para o Flamengo e o pênalti que sofreu nesta quarta-feira.

“O importante é o treinador estar gostando. Hoje foi pênalti, contra o Flamengo foi um cruzamento. Hoje é uma vitória que nós particularmente merecíamos. Por tudo que vinha acontecendo, o time merecia. Ganhamos um jogo aqui e vamos dar uma respirada”, falou Carlinhos.

Na visão de Osorio, cada jogador do elenco tem de poder atuar em pelo menos duas funções do esquema tático, que tem sido o 4-3-3 – o ideal para Osorio seria o 3-4-3, impossibilitado pela falta de zagueiros.

Além de Carlinhos e Thiago Mendes, o técnico colombiano vê Michel Bastos como polivalente, por poder jogar no ataque, em diferentes funções do meio de campo e também como lateral, e também já trocou as funções dos zagueiros Breno, Lucão e Lyanco, que atuaram como volantes, e do lateral Auro, que jogou na ponta.

UOL

Comentários

comentários