Invenção de alunos da Escola do Sesi de Campo Grande vence desafio nacional de inovação

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Um amassador portátil de garrafas PET, desenvolvido por alunos do 7º ano do Ensino Fundamental da Escola do Sesi de Campo Grande, foi considerado uma das 11 invenções mais inovadoras do Brasil no Desafio Criativos da Escola 2016. O protótipo, batizado de “Urupet”, foi criado para auxiliar a rotina de catadores de lixo, que consideram o volume das garrafas PET uma das maiores dificuldades no transporte dos resíduos.

A gerente de educação do Sesi, Simone Figueiredo Cruz, ressalta que a entidade investe na formação do jovem no que tange à iniciativa, à criatividade e à inovação. “Nossa equipe de educadores transforma conteúdos em ações concretas. Trabalhamos para que os alunos sejam capazes de criar soluções inteligentes para o mundo moderno, que é exatamente o propósito do Urupet ao melhorar o processo de reciclagem de resíduos”, frisou.

Para o gerente do Sesi em Campo Grande, Helton Leal Cardoso, esse tipo de reconhecimento ajuda a dar visibilidade ao propósito da entidade, que tem como principais objetivos a sensibilidade social, o estímulo à criatividade e ao empreendedorismo. “Não imaginávamos que o Urupet ganharia tamanha proporção. Ver que os méritos dos alunos e dos professores estão sendo reconhecidos nos deixa extremamente felizes”, comemorou.

Destaque

De acordo com a diretora da Escola do Sesi de Campo Grande, Glaucia Campos, 1.014 iniciativas do País inteiro concorreram com o Urupet, que ficou entre os 11 premiados, único da Região Centro Oeste. “O Desafio Criativos da Escola avalia critérios como o potencial de transformação social das ações realizadas e o quanto elas contribuíram para o desenvolvimento da empatia, trabalho coletivo, criatividade e protagonismo dos estudantes”, explicou.

Agora, um grupo de dois educadores e cinco estudantes foi convidado para participar de uma série de atividades em Salvador (BA) na primeira semana de dezembro, inclusive a cerimônia de premiação, que será no dia 6 de dezembro. Para Glaucia Campos, encorajar os alunos a transformar a realidade deles é a missão do Sesi. “A criatividade e o trabalho em equipe fizeram toda a diferença na conquista de mais este resultado. Parabenizo toda a equipe pedagógica e professores pela conquista”, pontuou.

Pesquisa e solução

O trabalho que culminou com a criação do amassador portátil envolveu as disciplinas de ciências, geografia e empreendedorismo. Os alunos fizeram uma pesquisa baseada na figura do catador, como ser social que desenvolve um trabalho de suma importância. Com o objetivo de reduzir o volume da garrafa PET e utilizando conceitos de robótica, foram desenvolvidos protótipos de amassadores com materiais variados.

Uma das alunas envolvidas no projeto, Kianny Faria de Almeida, de 12 anos, conta que gostou muito de desenvolver a atividade, principalmente, no momento de entrevistar os catadores. “Eles nos receberam muito bem e a lição que ficou é que devemos fazer tudo o que for possível para diminuir a quantidade de lixo que produzimos”, relatou.

“Identificamos uma necessidade dos catadores que, com o Urupet, vão poder transportar uma quantidade maior de garrafas PET, incrementando a renda”, frisou o aluno Luan Victor Orlandi Mota, 12 anos. O Urupet já havia sido premiado pela associação educativa Junior Achievement de Mato Grosso do Sul, em setembro, quando conquistou o 1º lugar do prêmio “Aprender a Empreender no Meio Ambiente”.

Comentários

comentários