Vírus Influenza B causou a morte de menino de 12 anos em Corumbá

O primeiro caso de Influenza B registrado em Corumbá, cidade distante a 427 quilômetros de Campo Grande, foi confirmado em um estudante de 12 anos que teve complicações e a doença acabou evoluindo para o óbito. Ele sofreu uma parada cardiorrespiratória na noite do último domingo (26) e morreu.

Segundo informações do site Diário Corumbaense, o menino passou mal na segunda-feira da semana passada (20) e foi atendido no pronto-socorro da cidade com vômito, dor na garganta e no tórax. Ele foi liberado no mesmo dia, mas na terça-feira (21), retornou ao local em estado grave. O garoto foi internado no no Centro de Terapia Intensiva (CTI), onde permaneceu até domingo, quando faleceu.

O coordenador do pronto-socorro e UPA de Corumbá,  Emerson Ferreira Moreira, informou que nem a médica nem a enfermeira que atenderam o garoto pela primeira vez suspeitaram do vírus, já que os sintomas apresentados não aparentavam ser da gripe Influenza. De acordo com dados nacionais, o H1N1 seria mais forte do que o Influenza B por levar mais pacientes a óbito, mas o coordenador afirmou que os conceitos sobre essas novas gripes devem ser reavaliados pela classe médica.

Foot: Anderson Gallo/Diário Corumbaense
Foot: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

“Na verdade nós vamos ter que rever os nossos conceitos em relação a essas doenças porque apesar de serem doenças benignas, mas que têm um alto poder de mutação, a interação do vírus com o indivíduo é que é o problema. Às vezes você pode inocular um Influenza B e não ter nada, já em outras pessoas pode evoluir e chegar ao óbito. O grande desafio do médico é tentar descobrir quais casos vão evoluir com essa gravidade e quais vão evoluir como normalmente, a criança passa dois ou três dias com febre e sai bem”, explicou.

Com relação à gripe Influenza, Corumbá já apresenta nove casos confirmados de H1N1 e agora o primeiro caso de Influenza B. Dos casos de H1N1 confirmados, dois foram a óbito. A primeira vítima era um policial aposentado, de 53 anos, em janeiro deste ano, e o segundo óbito aconteceu este mês. O paciente também tinha 53 anos e morreu no dia 09 de junho. A Vigilância em Saúde informou que ele sofria de hipertensão, estava no grupo prioritário da vacina, mas não recorreu aos postos de saúde para se imunizar durante a campanha.

No último fim de semana, foi coletado material de três pessoas com suspeita de Influenza e já são mais de 60 notificações da doença no município, de acordo com dados do último boletim epidemiológico do Estado.

 

Comentários

comentários