Indústria de MS tem o 5º mês consecutivo com redução de empregos

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, encerrou julho com mais uma redução líquida de postos de trabalho, sendo o 5º mês consecutivo de queda na abertura de empregos, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. No mês, o saldo negativo para o conjunto das atividades industriais foi de 2.071 vagas, enquanto no acumulado do ano o total de vagas encerradas nas atividades industriais do Estado sobe para 3.783.

Indústrias de MS tem o 5º mês consecutivo de baixa no emprego. (Foto: Ascom Fiems).
Indústrias de MS tem o 5º mês consecutivo de baixa no emprego. (Foto: Ascom Fiems).

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, os segmentos industriais que apresentaram as maiores reduções no mês de julho foram indústria de produtos alimentícios e bebidas (-1.307), indústria têxtil e do vestuário (-290), indústria da construção (-189) e indústria mecânica (-168). “No acumulado de janeiro a julho, as maiores reduções ocorreram na indústria da construção (-1.592), indústria de produtos alimentícios e bebidas (-1.318), indústria têxtil e do vestuário (-617), indústria metalúrgica (-368) e indústria mecânica (-273)”, enumerou.

Ele acrescenta que, considerando o conjunto da economia estadual, no mês de julho foram fechadas 2.068 vagas, enquanto no acumulado do ano o resultado aponta a abertura de 914 postos de trabalho. “Contudo, a média para o período, considerando o intervalo de 2005 a 2015, é 16.806 vagas abertas. Ou seja, o desempenho de janeiro a julho deste ano é 95% menor que o resultado médio historicamente obtido para o mesmo intervalo”, explicou.

Ezequiel Resende destaca que o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou julho de 2015 com um contingente de 129.832 trabalhadores formalmente empregados, queda de 1,56% em relação a junho. “Indústria segue respondendo pelo 2º maior contingente de trabalhadores formais empregados no Estado, com participação de 20,3% sobre o total, ficando atrás somente do setor de serviços, que emprega formalmente 185.726 trabalhadores com participação equivalente a 29,1%”, detalhou.

Especificações

Em Mato Grosso do Sul, conforme o Radar Industrial da Fiems, no período de janeiro a julho de 2015, ao todo ao todo 98 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 3.385 vagas. Entre as atividades industriais com saldo positivo de pelo menos 100 vagas, destacaram-se fabricação de açúcar em bruto (+544), abate de suínos, aves e outros pequenos animais (+390), distribuição de energia elétrica (+240), construção de obras de arte especiais (+205), fabricação de calçados de material sintético (+153), fabricação de alimentos para animais (+151), obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (+130), fabricação de álcool (+115) e fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado (+110).

Por outro lado, no mesmo período, 119 atividades industriais apresentaram saldo negativo em Mato Grosso do Sul, proporcionando o fechamento de 7.168 vagas. Entre as atividades industriais com saldo negativo de pelo menos 100 vagas, destacaram-se abate de reses, exceto suínos (-2.128), obras de engenharia civil não especificadas anteriormente (-658), construção de edifícios (-549), construção de rodovias e ferrovias (-478), catering, bufê e comida preparada (-201), confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas (-198), fabricação de fogões, refrigeradores e máquinas de lavar e secar para uso doméstico (-180), confecção de roupas íntimas (-177), produção de ferro-gusa (-136), captação, tratamento e distribuição de água (-135), extração de minério de ferro (-128), fabricação de produtos de carne (-126), fabricação de biscoitos e bolachas (-120) e fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico (-111).

Em relação aos municípios, constata-se que em 43 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação no período de janeiro a julho de 2015, proporcionando a abertura de 2.518 vagas. Entre as cidades com saldo positivo de pelo menos 100 vagas, destacaram-se São Gabriel do Oeste (+544), Angélica (+340), Nova Andradina (+241), Rio Brilhante (+238), Itaquiraí (+161), Maracaju (+136) e Chapadão do Sul (+114). Por outro lado, no mesmo período, em 34 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, proporcionando a fechamento de 6.301 vagas. Entre as cidades com saldo negativo de pelo menos 100 vagas, destacaram-se Campo Grande (-1.510), Três Lagoas (-1.089), Bataiporã (-649); Paranaíba (-537), Caarapó (-409), Nova Alvorada do Sul (-304), Naviraí (-291), Aparecida do Taboado (-226), Dourados (-202), Corumbá (-158), Bataguassu (-136) e Ribas do Rio Pardo (-112).

Comentários

comentários