Índios liberam funcionários mantidos reféns por um dia

A Sesai (Secretária Especial de Saúde Indígena) de Caarapó, está funcionando normalmente nesta terça-feira (26), após 24 servidores permanecerem em cárcere durante a segunda-feira (25). A ação foi feita por lideranças indígenas como forma de pressionar a saída do chefe da unidade local Adalberto Araújo. Durante o cárcere uma manifestação foi realizada por parte dos indígenas na frente do polo base.

Ao todo 24 funcionários não podiam deixar o local na segunda-feira (25)- Foto: Caarapó News
Ao todo 24 funcionários não podiam deixar o local na segunda-feira (25)- Foto: Caarapó News

De acordo com o cacique Norivaldo Marques, a comunidade já decidiu que não aceita mais Araújo como chefe da unidade. Segundo ele, os problemas enfrentados pela comunidade tem relação a falta de apoio da Sesai.

“Ele não está dando apoio para a comunidade neste momento. Já solicitamos que ele seja substituído, mas até agora nada foi feito e não podemos ficar desse jeito por isso realizamos a manifestação”, comentou Marques.

Segundo o cacique, a comunidade vem sofrendo com vários descasos, dentre os que foram relatados uma mulher que foi enterrada se atestado de óbito, fora a questão da falta de viaturas para atender comunidade e alega ter comunicado os fatos a coordenação na capital.

“A comunidade decidiu que o Adalberto não seja mais o chefe. Ano passado uma senhora foi enterrada sem atestado de óbito e com isso os parentes se revoltaram e fora a questão das viaturas que não temos, são muitos problemas enfrentados pela comunidade que não aguenta mais”, explica Norivaldo.

O cacique conta que uma equipe da coordenação da Sesai no Estado, está no local nesta manhã conversando com as lideranças e aguardam um posicionamento sobre a situação.

“Tem uma equipe de Campo Grande que está lá na Sesai e já passamos o que queremos, agora vamos aguardar um posicionamento por parte deles para a troca do Adalberto, depois então decidiremos o que vamos fazer”, complementou o líder indígena.

O Dourados News entrou em contato com o coordenador da Sesai no Estado, Hilário da Silva, buscando detalhes e também sobre as providências que serão tomadas diante dos fatos. Por telefone o coordenador, informou que uma equipe se deslocou até a unidade em Caarapó para explicar a situação para as lideranças locais.

“Infelizmente nós sabemos da dificuldade que temos com o nosso transporte ainda mais depois do período chuvoso que teve no Estado, que acabou destruindo boa parte das estradas e contribuiu para que as viaturas fossem danificadas. Sabemos que a situação é crítica, mas na semana passada estive em Brasília e repassei o caso, assim como um projeto para melhorar essa questão das viaturas”, falou Silva.

Segundo o coordenador, infelizmente o problema não é apenas na unidade de Caarapó, mas sim em todo o Estado, mas que estão sendo tomadas as providências na medida do possível. Ele disse ainda que aproximadamente 40 viaturas, em todo o Estado, já foram para as oficinas.

Questionado se haverá a troca no chefe, o coordenador conta que o momento não é para que seja efetuada a substituição, pois a equipe que atua no local não tem culpa dos fatos e acredita que com a explicação da situação para as lideranças, a comunidade entenda e decida aguardar até que seja solucionado os problemas da viatura, que é o mais agravante no momento.

“O momento não para uma troca, a equipe que está na unidade não tem culpa dos problemas. Por isso uma equipe foi até Caarapó para explicar isso a eles. Em Brasília eu entreguei um projeto e nele consta uma proposta para que seja terceirizado a nossa frota de viaturas, ou seja, que uma empresa seja contratada para prestar serviços para a comunidade. Sei que um técnico virá para a cidade e analisar a possibilidade. Foram solicitados os reparos de 40 viaturas, em Caarapó são quatro que foram para a oficina”, pontuou. (Com Informações Dourados News)

Comentários

comentários