II Encontro Estadual do Vale Universidade reúne mais de 1200 acadêmicos na Capital

Autoridades durante a assinatura do termos de compromisso. (Foto: Paulo Francis)
Autoridades durante a assinatura do termos de compromisso. (Foto: Paulo Francis)

Na tarde desta terça-feira(29), aconteceu o II Encontro Estadual do Programa Vale Universidade e Vale Universidade Indígena. O evento, que aconteceu no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande, contou com a presença de mais de 1,2 mil acadêmicos de todo estado, além da presença do governador Reinaldo Azambuja e da vice-governadora e secretária da Sedhast, Rose Modesto, entre outras autoridades.

IMG_9917
Acadêmicos da Capital e interior marcaram presença no evento que lotou o auditório do Palácio Popular da Cultura. (Foto Paulo Francis)

Este ano o encontro teve o objetivo de servir como ponto de integração e interação entre os acadêmicos, de modo que os mesmos puderam se participar de palestras, além de trocarem experiências com estagiários de sua área e também de outros municípios. Durante o ato houve também a assinatura do termo de parceria com o Conselho Regional de Administração (CRA-MS), que oferecerá cursos on-line gratuitos para os beneficiários do PVU, facilitando assim a atualização e consequente melhoria na prática do estágio e desenvolvimento acadêmico.

O governador Reinaldo Azambuja, vê o programa como uma oportunidade a mais aos alunos que terminam o ensino médio e não conseguem ingressar em uma universidade pública devido a escassez de vagas, terem uma nova chance em universidades privadas. Reinaldo frisou que a sua meta é aumentar a quantidade de vagas, e o programa pode ser melhorado ainda mais, por isso sugestões dos beneficiários são bem vindas para que haja aprimoramento e que a oportunidade possa se estender a mais pessoas.

“Temos agora mais 570 vagas disponíveis para novos alunos e também nos estamos fazendo uma qualificação, trazendo novos parceiros, nova instituições para fortalecer ainda mais o programa e possibilitar o ingresso de novos alunos a terem a oportunidade de cursar uma universidade.

Segundo a vice-governadora e secretária da Sedhast, Rose Modesto, o programa tem dois eixos, que é o Vale Universidade e o Vale Universidade Indígena. Caso a pessoa se candidate para o Vale Universidade Indígena, a parceria é feita com as UEMS(Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), tanto da Capital como Interior.

“Lá eles não pagam por essa universidade por ser pública, então eles recebem na verdade uma bolsa que chega ao valor de R$345,00, inclusive estamos discutindo um novo decreto em relação ao estagio, tendo em vista a dificuldade de muitos em vir até a Capital. O número de vagas abertas para o Vale Universidade Indígena ainda não foram preenchidas e nós intendemos que isso acontece por conta deste decreto que precisa ser mais flexível”, explica.

A programação do encontro também contou com atrações culturais e a palestra ministrada por Claudio Rodrigo de Oliveira, diretor do CIEE-MS.

Paulo Francis

Comentários

comentários