Idosa morre e criança é arremessada de carro em acidente na Capital

Acidente de trânsito envolvendo carreta e automóvel ocasionou a morte de Matilde da Silva Reginaldo, 67 anos, e deixou três feridos, entre eles, uma criança do sexo masculino, de 8 anos, que não usava cinto de segurança e foi arremessada do carro em que viajava.

Veículo Uno ficou destruído com o capotamento Foto Laudinei dos Santos
Veículo Uno ficou destruído com o capotamento Foto Laudinei dos Santos

A colisão ocorreu no início da noite de ontem (8), na BR-163, no quilômetros 342, área rural de Campo Grande.

De acordo com informações do delegado Reginaldo Salomão, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga onde o caso foi registrado, Matilde seguia de passageira em um veículo Uno, acompanhada por Marcelo Barbosa Oliveira, Leni Maria da Silva e o menino.

Marcelo era quem dirigia e teria sido fechado por outro veículo em tentativa de ultrapassagem. “Tivemos a informação no local de que o condutor do Uno seguia sentido Campo Grande e teria evitado acidente quando foi surpreendido por outro carro, que vinha sentido contrário, e fez ultrapassagem. Ao retornar para a pista, Marcelo perdeu o controle da direção e bateu no rodado do cavalo de uma carreta e capotou”, disse o delegado.

Ainda segundo a autoridade policial, Matilde e a criança estavam no banco de trás e não usavam cinto de segurança, apenas os ocupantes da frente, sendo Marcelo e Leni que tiveram ferimentos e foram socorridos. O menino também ficou ferido e o estado de saúde dele seria o mais delicado entre os sobreviventes.

Constatou-se no local, que o primeiro impacto do carro, depois de colidir na carreta, ocorreu a aproximadamente 75 metros do capotamento. Verificou-se, ainda, que o velocímetro do Uno travou em 120 km/h.

Segundo informações do jornal Correio do Estado, as vítimas são de Nova Alvorada do Sul e estariam viajando à Capital para trabalho, segundo o delegado Salomão.

SUMIÇO

Leni, que seguia ao lado do motorista quando era socorrida, disse à polícia que transportava uma bolsa com a quantia entre R$ 2 mil a R$ 3 mil, que estaria debaixo do banco que ocupava. Foram feitas buscas pelo dinheiro, duas possíveis bolsas encontradas, mas o valor sumiu.

O delegado não descarta furto. “Infelizmente no Brasil é recorrente o hábito de curiosos mexer no local do acidente. Os primeiros que sempre chegam aos lugares são motoristas que estão passando e se deparam com o ocorrido. Encontramos duas bolsas, mas em nenhuma delas havia o dinheiro que a vítima disse que carregava”, pontuou.

O motorista da carreta envolvida foi liberado, já que a polícia comprovou que ele não teve culpa no acidente e porque transportava carga perecível. Quanto ao condutor que teria feito a ultrapassagem, ainda não foi identificado.

Comentários

comentários