Doença grave que atinge cavalos, foco de mormo, é encontrado em MS

A Iagro disciplina o trânsito de equídeos em Mato Grosso do Sul, por conta da detecção de um caso positivo para Mormo, e informa que as medidas vem sendo adotadas.

Ceará é um dos estados que está em alerta por causa da doença que afeta cavalos. (Foto: Diário do Nordeste)
Ceará é um dos estados que está em alerta por causa da doença que afeta cavalos. (Foto: Diário do Nordeste)

O Mormo está presente na Lista de Doenças de Notificação Obrigatória ao Serviço Veterinário Oficial da Instrução Normativa/Mapa nº 50, de 24/09/2013. Toda suspeita de Mormo deve ser notificada imediatamente à Iagro para que sejam adotadas as medidas sanitárias pertinentes.

As ações de prevenção de controle da doença estão previstas na Instrução Normativa nº 24, de 05 de abril de 2004, publicada pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

O animal positivo será sacrificado, e o serviço veterinário irá realizar a colheita de material para a tentativa de isolamento da bactéria Burkholderia mallei. Após o sacrifício o animal será incinerado no próprio local. Todos os fômites e instalações serão desinfectados, na presença do serviço veterinário oficial.

Todos os animais da propriedade serão submetidos a teste de diagnóstico de Fixação de complemento, sendo repetido o mesmo teste após um intervalo de 45 a 90 dias, após a primeira colheita. Com o resultado negativo, em ambos os testes, é considerado saneado o foco e a propriedade é desinterditada, e o trânsito liberado.

Atualmente, as Unidades da Federação onde está confirmada a presença de Mormo são: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo.

Comentários

comentários