HR busca doações para banco de leite materno que arrecada menos da metade real

Lúcio Borges

O banco de leite materno do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS), em Campo Grande, busca doações para suprir a necessidade de leite destinado a 35 bebês da UTI Neonatal, da Unidade Intermediária Neonatal (UIN), do Canguru e bebês internados no CTI Pediátrico. A demanda tem sido grande e coleta bem abaixo do necessário, onde conforme a Unidade, por mês são coletados até 50 litros ante necessidade de mínimos 120 litros como quantidade ideal. Com isso os bebês menores e casos mais graves são priorizados.

A nutricionista Fernanda Menezes, responsável técnica pelo banco de leite, acompanha cada um dos bebês na Neonatologia e é a responsável pelos volumes que eles ingerem. Um bebezinho recém-nascido se for de 25 semanas, às vezes, toma 5 ml de três em três horas. Começa os primeiros dias com dieta menor para fazer o intestino funcionar. Um bebê com menos de um quilo, com 15 ml diário já atinge a dieta plena dele, que é quando alcança todas as calorias que precisa. A quantidade depende muito do peso.

Ela lembra que o banco de leite funciona como um centro de proteção e promoção do aleitamento. As mães podem procurar auxílio para amamentar.

“Às vezes a mãe recebeu alta mas não esta amamentando, tem dificuldade. Ela pode procurar o banco de leite. Todos fazem esse serviço. Vamos ver a pega do bebê, ensinar como tirar o leite. Depois que a mãe e o bebê conseguem se entender a amamentação deslancha, mas as dificuldades nos primeiros dias, infelizmente, fazem muitas mães desmamarem seus bebês”.

Condições

Para ser doadora a mãe precisa somente ligar aqui no  banco no telefone 67 3378-2715. Contudo,  deve estar atenta ou mesmo será questionada se pode ser doadora.

A compatíveis e serão doadoras, todas as mães que estiverem amamentando o bebê e que tenham excesso de produção. Também é preciso que ela tenha feito o pré-natal, por conta dos exames, para fazer a triagem.

Comentários

comentários