Hospital onde preso foi resgatado suspende atendimento a detentos

Foto: Google Street View
Foto: Google Street View

Hospital Adventista do Pênfigo, em Campo Grande, suspendeu, temporariamente, atendimentos a detentos na unidade depois do resgate de um preso na manhã de quinta-feira (22) por três homens armados.

O hospital ressaltou que o serviço era prestado há 15 anos pela unidade sem nunca ter acontecido caso semelhante. Segundo a assessoria, durante o ocorrido ninguém ficou ferido, nem funcionários, tampouco pacientes.

O preso era escoltado por dois policiais militares e estava na unidade para uma consulta médica particular. A Polícia Militar informou que não houve falha no esquema de segurança e que o detento apresentava boa conduta do preso que cumpria pena de 24 anos por tráfico de drogas e estelionato.

Entenda o caso

Ontem, Bandidos fortemente armados invadiram hospital e resgataram um preso, que tinha escolta de três policiais, os quais foram rendidos por três bandidos. Estes entraram no hospital se passando por pacientes. Um quarto suspeito ficou na frente da unidade de saúde, armados com fuzis.

Carro usado na ação estava abandonado (Foto: G1-MS)
Carro usado na ação estava abandonado (Foto: G1-MS)

A fuga ocorreu em um carro roubado com placas de Uberlândia (MG). Um policial de folga encontrou o carro no bairro Coophavilla, minutos após a fuga, e acionou outras unidades policiais. Homens do Serviço de Investigações Gerais (SIG), Batalhão de Operações Especiais (Bope), Delegacia Especializada de Repressão a Roubos à Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras) e policiais do Tático também participaram da ação.

Conforme a Agepen, o preso estava com consulta agendada no hospital. Ele foi condenado há pouco mais de 22 anos por tráfico de drogas e estelionato e estava na Penitenciária de Segurança Máxima. Há oito anos, ainda conforme a polícia, o homem realizava consultas naquele local.

Comentários

comentários