Homem que matou ex-mulher por causa de traição, mantinha relacionamento homoafetivo há 15 anos

Michel Leite de Carvalho, 29 anos, autor do assassinato da ex-mulher, Juliana da Silva Fernandes, 25 anos, na madrugada da última sexta-feira (22), no Jardim das Hortências, contou com a ajuda de um namorado de 53 anos, com quem mantinha um relacionamento extraconjugal e homoafetivo há 15 anos, para fugir. Ele foi preso na última terça-feira (26), em uma fazenda na cidade de Terenos.

Acusado mostrou frieza durante coletiva de imprensa. Foto: Ivan Silva
Acusado mostrou frieza durante coletiva de imprensa. Foto: Ivan Silva

De acordo com informações das delegadas Rosely Molina e Marília de Brito, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), apesar de ter matado a mulher porque não aceitava o fim do relacionamento, Michel mantinha um relacionamento fora do casamento. “Ele disse que se relacionava com esse homem há oito anos, porém essa pessoa que ajudou na fuga informou que ele e Michel estavam juntos há 15 anos”, explicou Marília.

Juliana foi morta a facadas. Foto: Divulgação/ Deam
Juliana foi morta a facadas. Foto: Divulgação/ Deam

Ainda segundo informações da polícia, um dia antes do crime, Michel teria escutado uma conversa de Juliana com um homem que estava se relacionamento após o divórcio. No dia seguinte, após receber um dinheiro, Michel foi até um bar e consumiu cerveja e conhaque. Em seguida, foi atrás da vítima. “Ele decidiu que mataria Juliana e foi até a casa onde ela vivia e, com uma faca, golpeou a vítima quatro vezes”, explicou a delegada. Segundo relatos do autor à polícia, a vítima estava “feliz e sorridente” no momento em que foi atacada.

 

Durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira (28), Michel demonstrou frieza enquanto falava sobre o homicídio. “Matei porque ela estava mentindo e me enganando. Ela estava ficando comigo e mais três homens ao mesmo tempo. Estava me traindo”, disse o autor. Ele contou que mesmo separados, ele e a vítima mantinham contato. Michel também negou que mantivesse o relacionamento homoafetivo. “Ele é só meu amigo”, finalizou.

Delegadas Rosely Molina e Marília de Brito. Foto: Kerolyn Araújo
Delegadas Rosely Molina e Marília de Brito. Foto: Kerolyn Araújo

Boletins de ocorrência

A vítima já havia registrado dois boletins de ocorrência contra o suspeito, sendo o primeiro em 2011 por vias de fato. Em fevereiro deste ano, após a briga que resultou no divórcio, o autor chegou a ser autuado em flagrante.
Segundo a delegada Rosely Molina, em nenhuma das duas ocasiões a vítima quis pedir medida protetiva contra o autor. Ainda segundo Molina, somente neste ano a Deam já registrou 2.804 boletins de ocorrência de violência doméstica.

Prisão

Michel foi preso na tarde da última terça-feira (26), escondido dentro de uma cama box, em uma fazenda em Terenos, onde a irmã do suspeito reside. De acordo com a delegada Marília de Brito, os policiais desconfiaram do peso da cama e acabaram encontrando Michel escondido. “Os policiais ameaçaram pegar uma faca e furar o colchão, foi quando o suspeito resolveu sair de dentro do móvel”, explicou.

Comentários

comentários