Homem mata ex-companheira e promove ritual macabro na casa antes de fugir

Osmar Antônio da Silva Rodrigues, 34 anos, matou a ex-companheira. Flaviana Luiz Batista, 01ritualde 23, enforcada. O crime aconteceu ontem (30), na casa onde moravam, localizada na rua Araxa, no bairro de Lourdes, em Paranaíba, região do Bolsão.

Segundo o Portal Correio do Estado, os policiais encontraram no local um ritual macabro feito pelo assassino antes da fuga e tiveram informação de que o assassinato pode ter sido motivado por divisão de bens.

De acordo com registro da Polícia Civil, a mulher, que atuava como empregada doméstica, foi encontrada morta por familiares, durante a noite, depois de não ter sido vista o dia todo. Ela estava separada de Osmar havia dois meses, no entanto moravam na mesma casa porque ele se recusava dividir o imóvel com a ex.

Uma irmã de Faviana, contou que o último contato com a jovem foi por volta das 8h30min, horário em que ela havia saído para trabalhar e receber o pagamento do mês. Ainda, que passou a desconfiar de que algo tivesse acontecido, depois de, no começo da tarde, Osmar ter mandado um irmão ir buscar o filho e dizer que a esposa estava com um advogado.

Na ocasião, foi percebido que o irmão do assassino estava com a bicicleta que Flaviana usava como meio de transporte. Familiares, então, decidiram passar em frente à casa dela e viram que estava fechada.

Por volta das 16h30min, Osmar foi encontrado em rua, já com o filho. Ele disse que estava bem com a esposa e que ela estava em advogado, providenciando a divisão da casa com ele.

A irmã tentou telefonar para a jovem, mas as ligações eram diretamente direcionadas para a caixa postal. Novamente em contato com o marido de Flaviana, o homem disse que ela tinha chegado, mas saído para a escola, onde familiares foram e não a encontraram.

Ao se deparar novamente com Osmar, em via pública, a irmã de Flaviana disse que tinha chamado a polícia. Então, o homem fugiu. Ela foi até a casa da vítima e a encontrou morta.

Policiais constataram que Flaviana foi assassinada enforcada com corda ou cadarço. Fato que causou estranheza foi que, aos pés dela, Osmar havia deixado espalhadas fotografias dela, dele e do filho.

Há suspeita que o marido tenha roubado parte do pagamento da vítima.

O crime foi registrado como feminicídio.

Comentários

comentários