Homem é morto na frente da filha de 7 anos ao reagir a tentativa de assalto

Um homem foi morto a tiro após reagir a uma tentativa de assalto no Centro de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, na noite deste domingo. Segundo informações de policiais militares do 12º BPM (Niterói), o marinheiro mercante Carlos Jorge Honorato Calmon, a filha de 7 anos e a mulher haviam acabado de deixar um parque de diversões e passavam de carro pela Rua Marechal Deodoro quando foram rendidos. Ele teria acelerado o veículo bruscamente e o bandido atirou. Desgovernado, o carro bateu contra um poste, que caiu. Um menor de 16 anos foi detido e confessou o crime.

 A vítima acelerou bruscamente o carro, segundo PMS Foto: Reprodução do Facebook
A vítima acelerou bruscamente o carro, segundo PMS Foto: Reprodução do Facebook

Atingido na cabeça, Carlos chegou a ser levado para o Hospital estadual Azevedo Lima, no Fonseca, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo seguiu para o Instituto Médico-Legal (IML). O caso deve ser investigado pela 76ª DP (Centro).

Em perfis no Facebook, moradores de Niterói lamentam mais um caso de violência na cidade. “Até quando?”, perguntou um morador. Já no perfil do marinheiro, é possível ver que uma de suas grandes paixões era o futebol: há dezenas de fotos em jogos e também muitas referências ao Vasco da Gama, time pelo qual torcia.

O menor, na delegacia Foto: Jorge Casagrande / Extra
O menor, na delegacia Foto: Jorge Casagrande / Extra

O enterro de Carlos será no Cemitério do Maruí, no Barreto, às 16h desta segunda-feira. Amigo do marinheiro, o funcionário público Otávio Carruto, de 55 anos, contou que Carlos estava num churrasco com amigos horas antes do crime. Ele assistia ao jogo entre Brasil e Peru.

– Após o primeiro tempo, ele saiu para ir com a mulher e a filha ao parque de diversões. E aí acontece uma coisa dessas. É uma tristeza muito grande. Ele era um irmão para mim – disse Otávio.

Detido diz ter atirado para “se defender”

O menor suspeito do crime foi apreendidos por policiais do 12º BPM (Niterói) no Terminal Rodoviário João Goulart, também no Centro de Niterói. Levado para a Divisão de Homicídios da cidade, o garoto alegou que atirou para “se defender”, após a reação da vítima. Ele contou ainda que agiu com outro adolescente de 17 anos, que está sendo procurado pela polícia.

De acordo com o depoimento do menor, ele e o cúmplice moram no Jardim Catarina, em São Gonçalo, e foram até o parque de diversões para assaltar pessoas que saíam de lá. A arma usada no crime, ainda de acordo com o garoto, foi obtida no Jardim Catarina e, após a tentativa de assalto, ficou com o outro adolescente.

EXTRA

Comentários

comentários