Homem de 31 anos é preso por estuprar adolescente e a fazer ter relações com ‘clientes’

Ricardo de Carvalho Ferreira de 31 anos foi preso ontem em Três Lagoas, no leste de Mato Grosso do Sul, por suspeita de estupro de vulnerável e favorecimento à prostituição infantil. Na casa do dele, a Polícia Civil encontrou arquivos de imagens pornográficas com cenas de sexo explícito de crianças e adolescentes.

vulnera

Os materiais estavam armazenados em celulares, câmeras fotográficas e computadores. Os aparelhos foram apreendidos. “As fotos que nós encontramos são amadoras. Nosso trabalho agora se concentra em tentar identificar essas vítimas e saber se elas são de Três Lagoas. A princípio são daqui da cidade”, afirmou o delegado Thiago Passos da Silva.

O homem começou a ser investigado há um mês, depois da denúncia de uma menina de 14 anos. Segundo a polícia, a garota disse que enviou fotos íntimas para o homem, que passou a ameaçá-la, pedindo sexo em troca da garantia de que as imagens não fossem publicadas em redes sociais. Os dois teriam se relacionado uma única vez.

O suspeito ainda teria ameaçado a adolescente para que ela mantivesse relações com supostos clientes dele. De acordo com a polícia, o sujeito chegou a contratar um moto taxista para levar a garota até um homem, porém, a Polícia Civil interceptou o motociclista antes da corrida.

“A menina só não ficou com o cliente porque nós interceptamos. Mas a suspeita é que a mulher desse homem também se prostitui. Não sabemos se ele a explora. Suspeitamos que ele faça parte de uma rede de prostituição”, explicou Passos.

Apesar de manter arquivos com cenas de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes ser um crime afiançável, o delegado não arbitrou fiança por entender que o suspeito já é investigado pela prática de crimes de estupro e favorecimento à prostituição.

A Justiça deve decidir nos próximos dias sobre o pedido de liberdade provisória. Segundo Passos, o suspeito deve permanecer preso, já que em nome dele existem mandados de prisão em aberto: um em São Paulo, por tráfico de drogas, e outro na Bahia, por homicídio

Comentários

comentários