Nova pesquisa diz que Hillary aumenta vantagem sobre Trump para 12 pontos

A candidata democrata Hillary Clinton supera o rival republicano Donald Trump por uma confortável margem de 12 pontos percentuais, a maior diferença já registra durante a campanha eleitoral, segundo uma pesquisa publicada neste domingo no jornal estadunidense The Washington Post. A eleição será realizada no dia 8 de novembro.

Reprodução - The New York Times
Reprodução – The New York Times

A ex-secretária de Estado, de 68 anos, tem 50% das intenções de voto contra 38% para o magnata, de 70 anos, indica a pesquisa ABC News/The Washington Post. Esta é o maior nível de apoio que Hillary registra em todas as pesquisas realizadas pela ABC News desde o começo da campanha e o menor índice para Trump.

A sondagem da emissora americana dava apenas quatro pontos de vantagem para Hillary depois do segundo debate entre os candidatos em 9 de outubro. De acordo o site RealClearPolitcs, site que faz espécie de transparência sobre todos assuntos ligados a política, a média das pesquisas a nível nacional mostra uma vantagem para Hillary de 47,7% contra 41,9%.

OPINIÃO FEMININA

A última pesquisa da ABC News/The Washignton Post revela também que 69% dos consultados desaprovam a resposta de Trump às mulheres que o acusam de abuso sexual.

O magnata afirmou, no sábado, que as mulheres estão mentindo e prometeu processá-las depois da eleição de 8 de novembro. Até agora, 11 mulheres acusaram Trump publicamente.

A pesquisa mostra uma clara vantagem de Hillary entre as mulheres, com 55% de apoio contra 35% para Trump. Além disso, a democrata supera pela primeira vez o empresário entre os homens, com 44% de adesão contra 41%.

Quase 60% dos entrevistados rejeitam as afirmações do aspirante republicano de que a eleição está sendo manipulada e 65% o criticam por dizer que pode não aceitar o resultado em caso de derrota.

O candidato libertário Gary Johnson e a ecologista Jill Stein têm, respectivamente, 5% e 2% de apoio, assim como na pesquisa anterior.

A ABC News entrevistou 1.391 pessoas maiores de idade, 874 das quais provavelmente irão votar, entre os dias 20 a 22 de outubro. A margem de erro é de 3,5 pontos para mais ou para menos.

Comentários

comentários