Governo pode ter que comprar mais aquecedores para evitar morte do restante dos peixes

O Governo do Estado, por meio do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) assumiu nesta terça-feira (30), a manutenção de todos os exemplares da de peixes que estão em quarentena à espera da conclusão do Cepric (Centro de Estudos e Pesquisas da Ictiofauna Pantaneira), popularmente conhecido como Aquário do Pantanal, cujas obras ainda estão em conclusão.

Tanques onde estão sendo mantidos os peixes do Aquário do Pantanal
Tanques onde estão sendo mantidos os peixes do Aquário do Pantanal

“É uma readequação do projeto como um todo, que foi concebido para parte dele ser feito na quarentena e outra parte no Aquário. Como nós não conseguiríamos (seguir) cronograma em novembro deste ano fica prejudicado o trabalho cientifico. A partir de agora vamos fazer uma readequação para que tenhamos um novo projeto de pesquisa e depois então destinar esses peixes ao Aquário”, explicou na tarde de hoje o diretor de licenciamento ambiental do Imasul, Ricardo Eboli.

Acompanhado de técnicos do governo estadual, Eboli recebeu imprensa e deputados estaduais que compõem a comissão de acompanhamento das obras do Aquário do Pantanal, para uma visita ao local onde os peixes estão sendo mantidos em quarentena.

“O Governo do Estado manterá esses peixes pelo período que for necessário, porque haveria um prejuízo maior devolvê-los ao rio e iniciar todo um novo processo de captura e quarentena. A postura do governo é de respeito à população e ao recurso público”, disse Ricardo durante a visita.

De acordo com a Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado), o encerramento do projeto ‘Biodiversidade para todos: da água à popularização da ciência e proteção da vida por meio do Aquário do Pantanal’ (que mantinha em quarentena os peixes) ocorreu em virtude do não cumprimento de recomendações técnicas, tais como, o correto armazenamento da ração e oferta de alimentação adequada aos animais, rígido controle das condições da água e da temperatura, manuseio no local de quarentena, o que, entre outros aspectos, interferiu no adequado manejo para preservação do bem estar dos animais e produção de conhecimento científico, que é a finalidade do projeto.

A partir de agora, o Imasul assumirá a manutenção dos peixes da quarentena até que a obra do Aquário do Pantanal seja concluída, decisão tomada para a contenção dos gastos públicos e também por recomendação dos consultores.

Para garantir a sobrevivência e bem estar dos espécimes em quarentena, o Imasul vai melhorar a estrutura atual, suprindo deficiências técnicas que porventura sejam detectadas. Técnicos do Instituto e de outros órgãos do governo vão realizar um inventário da quantidade de peixes coletados, mantidos e que, por ventura, não tenham resistido, bem como dos equipamentos existentes e de eventuais adequações que precisem ser feitas nas instalações.

Éboli, não especificou as causas da morte de milhares de peixes em junho, mas informou que não foi feita preparação para o inverno e que há preocupação para que não haja mais mortandade. Ainda conforme o diretor, nos próximos 10 dias ficará pronto um relatório informando a quantidade de peixes que estão nos reservatórios da Polícia Militar Ambiental (PMA).

Todo o trabalho de manutenção e manejo dos peixes na quarentena será feito tendo como base as orientações da avaliação técnico-científica dos especialistas do Cepta (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais) e da Unesp (Universidade Estadual de São Paulo).

Aos deputados e à imprensa que visitaram o local onde os peixes estão sendo mantidos em quarentena, o diretor de licenciamento do Imasul revelou que nos próximos 10 dias relatórios oficias a serem entregues vã garantir um diagnóstico conclusivo sobre os peixes as espécies.

 

Comentários

comentários