Governo muda regras do Fies para aumentar acesso de jovens pobres ao programa

O governo federal deve divulgar nos próximos dias as novas regras do Financiamento Estudantil (Fies) que serão aplicadas a partir do segundo semestre de 2015. Elas prevem a elevação da taxa de juros, diminuição da renda familiar máxima e diminuição do período de carência para o pagamento do Fies. Os contratos atuais não serão afetados.

A iniciativa batizada de “Fies 2.0” visa a aumentar o acesso de jovens de famílias em vulnerabilidade econômica ao programa. Atualmente os estudantes podem ter renda familiar de até 20 salários mínimos (R$ 15.760), valor considerado excessivo, já que o salário mínimo vem subindo acima da inflação há pelo menos uma década.

 

O MEC deve elevar a taxa de juros dos financiamentos dos atuais 3,4% ao ano para 6,5% ao ano. Além disso, pretende reduzir de 18 para 12 meses o período que o estudante tem de carência após o término do curso para amortizar o pagamento do contrato. O programa deve ficar restrito a faixas de 1,5 a 3 salários mínimos per capita para disponibilizar financiamento de 100%.

A expectativa é que a oferta do segundo semestre fique em cem mil novas vagas. O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, informou que, para essa edição, serão usados novos critérios de seleção. Deve ser dada prioridade a vagas de Engenharia, Saúde e formação de professores e aos cursos com notas 4 e 5.

As regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste – com exceção do Distrito Federal – terão direito a mais vagas, uma tentativa de diminuir desigualdades regionais.

com informações do Estadão

Comentários

comentários