Governo abre procedimento contra servidores citados na Lama Asfáltica

O governo do Estado, através da Agesul (Agência Estadual de Gestão Empreendimentos) publicou hoje no Diário Oficial, a criação de uma comissão de PAD (Processo Administrativo Disciplinar) para apurar ‘possíveis irregularidades’ cometidas por cinco servidores do órgão e três deles tiveram os nomes envolvidos diretamente na Operação Lama Asfáltica, que desarticulou esquema de corrupção na contratação de empresas através de licitação.

proce

Wilson Roberto Mariano de Oliveira, o Beto Mariano, Átila Garcia Gomes Tiago de Souza e Maxwell Thomé Gomes chegaram a ser presos preventivamente, por suspeita de integraram a organização criminosa que desvios recursos públicos de obras da pavimentação em rodovias estaduais, durante a gestão de André Puccinelli (PMDB).

Dois outros servidores, Donizeti Rodrigues da Silveira e Luiz Mário Anache, chefes das Residências Regionais de Jardim e Corumbá, respectivamente, também estão entre os investigados.

As investigações dizem respeito a medições apresentadas e atestadas como serviços realizados em algumas obras executadas pela Agesul, com suspeita de irregularidades.

De acordo com o Diário Oficial do Estado o PAD aberto será conduzido nos mesmos autos de uma sindicância administrativa disciplina já instaurada em 2015 pela Agesul, e terá prazo de conclusão de 90 dias, a contar de hoje.

Comentários

comentários