Governador e parlamentares decidem priorizar saúde e rodovias em 2016

O governador Reinaldo Azambuja e a bancada federal de Mato Grosso do Sul fecharam acordo nesta terça-feira (6) para destinar maior parte dos recursos do Orçamento da União em 2016 para infraestrutura e saúde. A reunião ocorreu no gabinete do coordenador da bancada sul-mato-grossense em Brasília, senador Waldemir Moka (PMDB).

O Corrdenador da Bancada Senador Moka durante a reunião da bancada com o Governador Reinaldo Ajambuja.
O Corrdenador da Bancada Senador Moka durante a reunião da bancada com o Governador Reinaldo Ajambuja.

Além de Azambuja e Moka, participaram da discussão os deputados Geraldo Resende e Carlos Marun, ambos do PMDB, Tereza Cristina Correa da Costa (PSB), Dagoberto Nogueira (PDT), Elizeu Dionísio (PSDB) e Mandetta (DEM). Os demais parlamentares enviaram representantes da área de orçamento.

Moka explicou que os três senadores e os oito deputados federais têm até dia 20 para apresentar as 15 emendas coletivas, entre elas as que destinam recursos para as rodovias Sul-Fronteira, MS-419, ligando Rio Verde a Aquidauana, e a MS-345, em Bonito.

Os 11 parlamentares podem ainda apresentar até 25 emendas individuais, no valor de R$ 15.342.437,00. Desse montante, R$ 7.671.218,50 devem ser destinados para projetos e obras na área de saúde. “É destinação obrigatória porque o país precisa diminuir a carência de vagas nos hospitais”, observa Moka.

Além das rodovias, o governador sugeriu investimento na construção e ampliação de hospitais em Campo Grande, Paranaíba, Ponta Porã, Aquidauana, Corumbá e Dourados. “Temos um acordo de que, para cada real investido em recurso federal, o Estado aporta outro real, dobrando a dotação”, disse.

Azambuja também pediu prioridade para aquisição de patrulhas agrícolas que atendam aos agricultores familiares, além de maquinário para as prefeituras, como motoniveladoras, sugestão que tem sido acatada todos os anos pela bancada.

De acordo com Moka, as emendas apresentadas em anos anteriores, que estejam com execução superior a 20%, deverão ser reapresentadas para o orçamento de 2016. “Isso é para que obras que estejam em andamento não sejam paralisadas por falta de previsão orçamentária”, diz.

O governador destacou o entrosamento com os parlamentares federais , que, segundo ele, tem permitido trabalhar em sintonia com as necessidades da população sul-mato-grossense. Azambuja destacou que as prioridades do seu governo, de investir o máximo em saúde, é o mesmo dos senadores e deputados.

Comentários

comentários