Golpista se passa por deputado para comprar uma caminhonete na capital

Preso desde 2014 no PED (Presídio Estadual Dourados), o estelionatário Valfrido Gonzales Filho, 37 anos, é suspeito de mais um golpe em Mato Grosso do Sul. A esposa dele, 31 anos, contou para a polícia que ele se passou por um deputado para comprar uma caminhonete em Campo Grande. A mulher, a cunhada e a babá da filha de 3 meses foram presas junto com outro homem de 26 anos na terça-feira (28).

DOF recuperou caminhonete roubada em Ponta Porã (Foto: Divulgação )
DOF recuperou caminhonete roubada em Ponta Porã (Foto: Divulgação )

Eles foram flagrados a caminho de Ponta Porã, onde venderiam o veículo resultado do golpe. Segundo o delegado Jarley Inácio, Valfrido negociou a caminhonete direto com a vítima por telefone de dentro do presídio. O local não tem bloqueadores de sinal de celular, segundo informou ao G1 a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário).

O delegado Jarley Inácio disse ao G1 que atendeu uma ligação em que Valfrido se passou por um professor de educação física querendo informações sobre os presos.

“Mais uma vez, um golpe dele. A gente já conhecia ele, a voz dele. Então, quando ele ligou aqui na delegacia, em determinado momento falei pra ele: a casa tinha caiu. Aí, ele confessou, falou que realmente se passou por um deptuado, entrou em contato com a vítima e conseguiu através do ‘dom’ dele ludibriar a vitima e fazer com que ela entregasse o veiculo”, explicou Jarley.

A pessoa que vendeu a caminhonete registrou boletim de ocorrência por estelionato na segunda-feira (27), mas o veículo já tinha sido transferido para o nome da babá, a pedido do estelionatário, mesmo antes do pagamento. Ao ser parado em fiscalização do DOF (Departamento de Operações Especiais), os policiais checaram a existência do registro e prenderam os ocupantes. A criança de 3 meses, filha de Valfrido, foi encaminhada para o Conselho Tutelar depois que a mãe foi presa. Os quatro presos e Valfrido serão indiciados por associação criminosa e estelionato.

Os presos disseram para a polícia que tentaram vender a caminhonete em Dourados, mas o negócio não deu certo. A mulher disse que Valfrido foi o mentor do golpe e que ela ficou responsável por pegar o veículo e fazer o teste-drive e levar o carro para vistoria e transferência de documento.

O golpista alegou que a esposa precisava viajar com o carro e pediu a transferência adiantada, antes do pagamento. Segundo a Polícia Civil, durante o atendimento da ocorrência, Valfrido ligou várias vezes para o DOF se identificando como desembargador, deputado, advogado e filho da vítima, tentando liberar o veículo.

O mesmo aconteceu na Delegacia de Polícia Civil de Ponta Porã, para onde os presos foram levados. Segundo o delegado, há suspeita de que os ocupantes do carro sabiam da procedência ilegal, produto de golpe.

A Agepen oficiou as empresas de telefonia celular para que cumpram o que determina a Lei Estadual nº 4.650, de março de 2015, quanto a apresentarem solução tecnológica hábil para o bloqueio do sinal de celular nos estabelecimentos penais e nos centros de socioeducação do estado.

Comentários

comentários