Gastos com Centro Municipal Pediátrico são considerados excessivos pela CPI das Contas Públicas

Durante a oitiva com o secretário municipal de saúde, Jamal Salem, os vereadores membros da CPI das Contas Públicas, enfatizaram que os gastos com o Centro de Pronto Atendimento Pediátrico (Cempe) foram excessivos e que o projeto não tem cumprido com sua função inicial.

26cpu
Fot Luana Campos

Thais helena pontuou que no local os médicos e enfermeiros tiveram reajuste de 300%, sendo que o gestor já sabia da crise, desde julho do ano passado.

Salem justificou dizendo que o hospital é uma necessidade e que por dia realiza de 400 a 500 atendimentos e que o aumento foi uma maneira que a secretaria encontrou de atrais os profissionais.

O hospital custa cerca de R$2 milhões mensais ao cofre municipal e de acordo com o vereador Eduardo Romero não atende vários requisitos básicos como acessibilidade e entrada adequada para ambulâncias. “Na Prática ele só atende problemas pontuais, as emergências vão para outros hospitais, estamos mantendo um paliativo e não um atendimento completo na questão da pediatria”, afirma o vereador.

Segundo Jamal a obra está em sua primeira fase. Diante disso ele foi questionado se haverá recursos para a segunda etapa, uma vez que o limite de responsabilidade fiscal já foi atendido. O projeto não recebeu parecer favorável do Conselho Municipal e mesmo assim foi levada adiante, o que Eduardo Romero chamou de ‘teimosia do executivo’.

O secretário afirmou que o hospital será concluído com dinheiro do Governo Federal. Em entrevista ele afirma que não vai abandonar a pasta e que é nos momentos de crise que o bom gestor aparece.

Luana Campos

 

Comentários

comentários