Gaeco requisita celulares de mais vereadores e do prefeito Bernal

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) notificou o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), bem como todos os 29 vereadores presentes na sessão que julgou o mandato do progressista, em março de 2014.

Foto: Kerolyn Araújo
Foto: Kerolyn Araújo

Até o momento momento, celulares de 12 vereadores foram periciados, por ordem da Justiça, para averiguação de suposto esquema de compra de votos para afastar Benral da prefeitura.

Mas agora, a pardtir do pedido feito pelo advogado René Siufi com base na denúncia do vereador Jamal Salem (PR), o Gaeco solicita a apreensão dos telefones móveis dos outros 17 vereadores.

A medida, acatada pelo Gaeco, foi solicitada por Siufi, em nome do vereador Edil Albuquerque (PMDB). Os seis vereadores que votaram contra a cassação são: Luiza Ribeiro (PPS), Marcos Alex (PT), Paulo Pedra (PDT), Zeca do PT, Ayrton Araújo (PT) e Cazuza (PP).

A notificação, assinada pelo promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira pede que os vereadores entreguem, voluntariamente, os aparelhos no prazo de até 5 dias.

O motivo da extensão da investigação é também a compra de votos. Só que desta vez, o ato ilícito seria em favor de Bernal. Segundo Jamal, no dia anterior à cassação do prefeito, “cargos e dinheiro” foram oferecidos para os vereadores votarem contra o afastamento. O vereador resolveu fazer a denúncia depois de ver o desgaste sofrido pela Câmara Municipal com os desdobramentos da operação Coffee Break

Comentários

comentários