Gaeco realiza operação na fronteira para investigar políticos que usam ‘laranjas’

O MPE (Ministério Público Estadual), através do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e da Promotoria de Justiça de defesa do patrimônio público da cidade de Bela Vista, município na fronteira com o Paraguai deflagrou nessa manhã a Operação Parada Final.

Veículo do Gaeco na casa de vereador em Bela Vista - Foto: Fronteira News
Veículo do Gaeco na casa de vereador em Bela Vista – Foto: Fronteira News

O objetivo é o cumprimento de cinco mandados de busca e apreensão, visando desvendar crimes contra licitação pública e atos de improbidade administrativa consistentes na contratação de empresa de transporte escolar pelo Município de Bela Vista, pertencente a político daquela localidade, porém, registrada em nome de “laranja” face a proibição de detentores de mandato eletivo de contratarem com o poder público.

No início da ação, um veículo do Grupo foi flagrado na casa do vereador e candidato a vice-prefeito derrotado nessas eleições, Antonio Flávio Barbosa Cabral, o Pato (PHS).

Segundo nota divulgada pelo MPE, até o momento as investigações também já evidenciaram que o transporte escolar feito pela empresa de fachada é de péssima qualidade, por vezes sendo realizado em veículos impróprios para o transporte de alunos.

Pato foi condenado na semana passada acusado de ter comandado um esquema de falsificação de holerites para contratação de empréstimo consignado de pessoas que nunca foram servidoras da Câmara de Bela Vista, durante o período em que ele comandou a Casa, entre 2007 a 2009.

Comentários

comentários