Gabriel Jesus desencanta e Palmeiras arranca empate com o Atlético-MG

O atacante Gabriel Jesus desencantou nesta quinta-feira após oito jogos sem marcar gols pelo Palmeiras. Mas a equipe dirigida por Cuca não conseguiu segurar o Atlético-MG e sair do estádio Independência com uma vitória. O argentino Lucas Pratto saiu do banco de reservas e decretou a igualdade por 1 a 1 em Belo Horizonte.

Gabriel Jesus voltou a balançar as redes após amargar uma seca de oito jogos (Foto: Gazeta)
Gabriel Jesus voltou a balançar as redes após amargar uma seca de oito jogos (Foto: Gazeta)

Com o empate, o líder Palmeiras termina a 35ª rodada do Campeonato Brasileiro com 71 pontos, quatro a mais do que o Santos, atual segundo colocado, e cinco à frente do Flamengo, que ocupa a terceira posição. O Atlético-MG, com 61 pontos, ocupa a quarta posição e já não tem mais chances de ser campeão nacional.

Para o Palmeiras ser campeão no próximo domingo, os comandados de Cuca terão de vencer o Botafogo, no Palestra Itália, e torcer para uma derrota do Santos diante do Cruzeiro, no estádio do Mineirão. Além disso, o Flamengo não poderá triunfar contra o Coritiba, no Maracanã. Palmeiras e Santos irão a campo às 17 horas (de Brasília), enquanto o Flamengo joga às 19h30.

Se não quiser depender de outros resultados, o Palmeiras terá de conquistar seis pontos nas próximas três rodadas do Brasileiro. Além do Botafogo, o Verdão enfrentará a Chapecoense, dentro de casa, e encerrará sua participação no campeonato em Salvador, contra o Vitória – ameaçado de rebaixamento.

Já o Atlético-MG focará na disputa da final da Copa do Brasil. O primeiro jogo contra o Grêmio está marcado para a próxima quarta-feira, dia 23, no Mineirão. A grande decisão ocorre no dia 30, na Arena de Porto Alegre.

Primeiro tempo

O Atlético-MG começou o jogo mais intenso. A primeira chance alvinegra saiu aos três minutos, com cruzamento de Fábio Santos para Luan, que tocou de cabeça para longe do gol. O apetite inicial do Galo relembrou o Atlético-MG do técnico Cuca, que buscava o resultado nos primeiros minutos de jogo.

O Galo não dava espaços e pressionava bastante o Palmeiras em seu campo de defesa. No desenho tático do jogo, a equipe alvinegra atuava no 4-2-3-1, com Fábio Santos apoiando o ataque. Já o Verdão, acuado, administrava da forma que podia as investidas adversárias.

Fecha o tempo!

O jogo começou tão quente que logo nos primeiros minutos uma briga aconteceu. O volante Leandro Donizete e o atacante Gabriel Jesus se estranharam e partiram para agressão. Alguns jogadores que chegaram para separar também se desentenderam. Como estava apenas no começo do duelo, o árbitro amarelou os atletas que iniciaram a confusão.

Galo segue com pressão

Aos 10, o contra-ataque atleticano voltou a funcionar. Fred recebeu boa bola no ataque, mas fez o cruzamento ruim e a bola foi fraca, ficando fácil para a defesa palmeirense.

Aos 12, o Galo conseguiu seu primeiro gol. A auxiliar Neuza Inês Back, porém, marcou impedimento de Robinho. No lance, a bola sobrou para Fred, ele chutou e a redonda pegou na trave. Robinho, sozinho, fez o tento, mas o árbitro seguiu a ideia de sua assistente e não validou o lance.

Passados 15 minutos de jogo, o goleiro Victor, do Atlético, tinha somente acompanhado o jogo com apenas uma defesa em chute que não levou tanto perigo contra a meta alvinegra.

Após os 20 minutos, a partida esfriou um pouco, mas o Galo seguia melhor em campo. O Palmeiras encontrava dificuldades na armação de jogadas. Atento a isso, o técnico Cuca mandou para o aquecimento jogadores de defesa, já que o Galo pressionava bastante.

Aos 26, Gabriel Jesus, marcou o primeiro gol. Em uma das poucas chegadas do clube alviverde, o centroavante recebeu a bola, chutou e Victor não conseguiu fazer a defesa.

Apesar do gol palmeirense, o Atlético seguiu melhor em campo, ocupando mais os espaços e dando poucas oportunidades ao clube paulista. A chegada contra a meta adversária, porém, não acontecia do modo necessário.O Galo não era fatal como o alviverde foi em sua chegada. Neste momento do jogo, a equipe da casa tinha 62% de posse de bola.

Segundo tempo

O Atlético-MG voltou para o segundo tempo nervoso. A equipe preto e branca tinha ciência que tinha feito um bom primeiro tempo e o resultado, até ali, não era satisfatório. O Palmeiras, no entanto, foi o primeiro a chegar na etapa final. Com chute de Dudu, Victor apenas acompanhou a redonda sair.

Aos 13, Marcelo Oliveira percebeu que sua equipe perdia mobilidade, já que Maicosuel voltava de contusão e ainda não tinha tanto ritmo de jogo. Por isso, o técnico mandou para o campo o argentino Lucas Pratto. E deu resultado no minuto seguinte: com cruzamento de Robinho, o artilheiro colocou no fundo das redes e empatou a contagem.

O gol assustou a comissão técnica palmeirense. O técnico Cuca mandou para o campo o zagueiro Thiago Martins e tirou o volante Thiago Santos, querendo segurar o empate longe de seus domínios e ficar mais próximo do título.

Após o tento, o Galo voltou a pressionar muito o Palmeiras. Pratto deu mais velocidade e mobilidade ao time preto e branco, já que não ficava preso na área. O Palmeiras, por sua vez, apostava nos contra-ataques e conseguia assustar em algumas oportunidades.

O Palmeiras seguia investindo bastante nos contra-ataques e tinha certa facilidade para chegar, tendo em vista o desgaste dos atletas. O Galo não conseguia agredir tanto os visitantes, inclusive, pelo nervosismo do jogo, cenário que decretou o empate.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 17 de novembro de 2016 (quinta-feira)
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Neuza Ines Back (SC)
Cartões amarelos: Leandro Donizete e Luan (Atlético-MG); Gabriel Jesus, Dudu, Victor Hugo e Egídio (Palmeiras)

GOLS:
ATLÉTICO-MG: Lucas Pratto, aos 14 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Gabriel Jesus, aos 26 minutos do primeiro tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Gabriel, Erazo e Fábio Santos; Leandro Donizete, Júnior Urso, Maicosuel (Lucas Pratto) e Luan (Cazares); Robinho (Clayton) e Fred.
Técnico: Marcelo Oliveira

PALMEIRAS: Jaílson; Jean, Edu Dracena, Victor Hugo e Egídio; Thiago Santos (Thiago Martins), Tchê Tchê e Moisés; Roger Guedes, Dudu (Erick) e Gabriel Jesus (Alecsandro).
Técnico: Cuca

(GLOBOESPORTE)

Comentários

comentários