Fundesporte promove clínica de paradesporto na Capital

aaaa-1Alavancar o esporte paralímpico no Estado e capacitar profissionais e acadêmicos de Educação Física para atuar no paradesporto são os objetivos da Fundesporte com as Clínica Paralímpicas. Desde 26 até 28 de maio, mais de 300 pessoas participam da qualificação em atletismo, goalball e voleibol sentado promovida pela Unidade Pedagógica e de Formação, com apoio da UCDB e do Conselho Regional de Educação Física.
A clínica tem 30h de aulas práticas e teóricas.  A abertura será comum, com a palestra Mundo Paralímpico ministrada pelos professores doutores Alberto Martins da Costa e Patrícia Silvestre de Freitas. O professor Alberto é doutor em Educação Física e Esportes Adaptados, mestre em Ciência da Educação Física, Medicina Esportiva e Pedagogia do terceiro mundo e   Coordenador Geral da Academia Paralímpica Brasileira do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Patrícia é professora e pesquisadora da Academia Paralímpica Brasileira, doutora, mestre em Educação Física e Adaptação, além de classificadora funcional de Atletismo do CPB.
Na explanação, os profissionais falam sobre suas experiências no esporte paralímpico, as peculiaridades do esporte e dos praticantes, a importância da Educação Física e uso de técnicas adequadas para o desenvolvimento do paradesporto. A palestra está marcada para as 8h30, no Anfiteatro do Bloco A da UCDB.
Na sexta e no sábado, as atividades específicas de cada modalidade são realizadas nos períodos matutino e vespertino nas quadras da UCDB.
O professor Marcelo Doniseti Micheletto ministra a clínica de voleibol sentado. Especialista em Métodos de Tratamento e Reabilitação em Deficiências Físicas e coordenador técnico da modalidade nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, Marcelo aborda aspectos teóricos e ensina na prática como funciona o voleibol sentado. O conteúdo programático inclui: história, classificação funcional, regras, quadra de jogo, fundamentos, voleibol sentado como esporte de rendimento, escolar e de recreação e lazer, além de preparação física e treinamento tático e técnico.
O responsável pela clínica de goalball é o professor Jônatas da Silva Cunha Castro. Especialista em Práticas Pedagógicas Interdisciplinares, o ministrante tem experiência como auxiliar técnico da preparação da seleção paralímpica da modalidade para os jogos de Beijing 2008. Na clínica explana sobre: tipos de abordagem, auxílio e orientação à pessoa cega e de baixa visão; o que é e como se joga goalball; prática do jogo; aspectos técnicos e processo de ensino-aprendizagem.
A clínica mais procurada é a de Atletismo. O especialista em Atividade Motora Adaptada, Fábio Leandro Breda, técnico nacional de atletismo do CPB, capacita sobre: classes e categorias no Atletismo; Atletismo para deficientes visuais; iniciação ao Atletismo e adaptações para atletas com deficiências; regras do Para-Atletismo; provas de pista e de campo e treinamento de alto rendimento.
As clínicas estão sendo promovidas pela Fundesporte como forma de atender uma importante demanda no Estado. Mato Grosso do Sul, apesar de ser um dos mais vencedores do país no paradesporto, não tem o hábito de receber capacitações para os profissionais. A atual gestão tem como uma de suas prioridades a constante qualificação de técnicos e professores para atingir os objetivos de interiorizar o esporte, aumentar a prática e o número de conquistas tanto em competições de alto rendimento quanto em escolares.
“Um profissional bem preparado tem mais chances de sucesso. Investir nos técnicos e professores é fundamental para termos atletas de ponta. Nossos profissionais já fazem um excelente trabalho e temos certeza que com essas capacitações teremos resultados ainda melhores. Isso sem contar que é uma oportunidade de levar o paradesporto para mais municípios e melhorar a qualidade de vida da população de Mato Grosso do Sul”, justificou o diretor-presidente da Fundesporte Marcelo Miranda.

Comentários

comentários