Fundesporte oferece capacitação aos técnicos nos Jojums

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Os Jogos da Juventude de Mato Grosso do Sul incluem programação especial para os técnicos.  Na etapa de Ponta Porã,  eles puderam participar de uma clínica de capacitação  e opinar  sobre os jogos em uma reunião técnica.

Na noite de nove de setembro, no auditório do Centro de Convenções de Ponta Porã, a Fundesporte promoveu a clínica “Capacidades físicas no treinamento de equipes escolares – 15 a 17 anos”. O objetivo foi mostrar mecanismos para auxiliar na melhoria do rendimento das equipes escolares do Estado.

Mario Sergio Vaz da Silva, doutor em Ciências (Fisiopatologia Experimental) pela Universidade de São Paulo, ministrou a capacitação.Profissional de Educação Física, Mario Sergio estuda e tem experiência em Fisiologia do Exercício voltada para promoção da saúde e condicionamento e avaliação física. Na explanação, enfocou pontos importantes sobre condicionamento e preparação física, técnicas de avaliação e treinamento de equipes escolares. Para ilustrar, usou imagens jogos dos Jojums de Ponta Porã, o que aproximou o tema da realidade dos técnicos.

“Foi muito importante para nos atualizarmos sobre a questão de treinamento e da fisiologia; aprender a importância da individualidade dos atletas. Com certeza vamos nos aprofundar mais e aplicar o que aprendemos aqui em nossos treinamentos”, disse Mauro Bernardes, chefe de delegação de Três Lagoas.

O colega Gabriel Stalin, de Corumbá concorda. “É muito importante porque nos ajuda, agora na volta para casa a fazer um trabalho melhor com nossas equipes. Vamos usar o que aprendemos aqui em nossos treinamentos É sempre bom ter informação. A organização está de parabéns porque só assim poderemos uniformizar a qualidade do desporto escolar em todo Estado”.

Para o palestrante, a iniciativa da Fundesporte também é fundamental para melhoria do esporte escolar. “Estamos vivendo um momento único na Fundesporte, de incentivo muito grande aos técnicos e ao atletas. Isso é essencial para o desenvolvimento do esporte escolar. Está sendo muito bem gerido, por uma equipe competente”, avaliou.

Reunião Técnica

A noite  seguinte foi para avaliar, sugerir e criticar os jogos escolares promovidos pela Fundação, a forma de disputa e as dificuldades de trabalho nos municípios.

Os técnicos elogiaram as inovações inseridas pela Fundesporte como o alojamento em hotéis e partidas durante toda a semana, mesmo após a desclassificação. Criticaram porém, a pouca participação em algumas modalidades como basquete e handebol no naipe feminino.

14310456_1080266758721159_7399022294359120819_o

Na reunião, também foi motivo de destaque o pouco incentivo dos municípios no esporte escolar. As principais reclamações foram a falta de pagamento de horas de treinamento, estrutura precária e ausência de apoio para participar dos estaduais.

Ainda foram feitas sugestões de forma de disputa e de obrigatoriedade de seletivas municipais. As ideias foram anotadas e serão discutidas internamente na Fundesporte.

“Nossa intenção é melhorar sempre. Os técnicos e os atletas são os protagonistas dos nossos eventos. É de suma importância ouvi-los para aprimorarmos nossos jogos” disse o diretor presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda.

Comentários

comentários