Funcionários em greve dos Ceinfs fazem panelaço em frente da Prefeitura

A greve dos funcionários dos 99 Ceinfs (Centros de Educação Infantil) e 19 Cras (Centros de Referências de Assistência Social), contratados pela Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar) e Seleta (Sociedade Caritativa e Humanitária, continua nesta manhã de sexta-feira (15). O ponto de encontro dos manifestantes aconteceu na praça do Radio Clube, no Centro da Capital.

De acordo com a presidente da Senalba Maria Joana Barreto Pereira, a categoria se posiciona contente pela conquista da redução da carga horária de horas diárias para 6 horas, porem não abrem mão do reajuste salarial de 9%.

“Essas mulheres trabalham bastante para cuidar dos filhos das trabalhadoras, é justo um reconhecimento da classe. Elas ganham 900 reais apenas, não tem nenhum outro tipo de beneficio, ticket, plano de saúde, nada. A redução da carga horaria foi uma grande conquista, porem continuamos a luta por nossos colegas terceirizados da Omep e Seleta que nem isso obtiveram”, alega.

A presidente conta que 70% da categoria aderiu a greve e que algumas pessoas ainda estão trabalhando com medo de represálias.” Inclusive a prefeitura enviou funcionários da Semed para cuidar das crianças, mas essas pessoas não são capacitadas e não tem formação técnica para isso.

Houve a distribuição de pirulitos simbólica as crianças que estão sem atendimento. Segundo a organização do evento a estimativa e de mais de 1000 pessoas participam do ato.

 

Grevistas saíram em passeata da Praça do Rádio até a prefeitura (Foto Paulo Francis)
Grevistas saíram em passeata da Praça do Rádio até a prefeitura (Foto Paulo Francis)

Os manifestantes saíram as 10 horas da manhã em passeata batendo panelas e apitando até a prefeitura. No caminho cantavam musicas e como o hino nacional e cantigas de ninar em forma de grito de guerra como ” Nana neném que a cuca vem pegar, estamos de greve não tem quem vai cuidar’…”.

A passeata foi escoltada pela policia de transito. Guarda Municipais fazem a segurança do prédio da prefeitura bloqueando a entrada dos manifestantes.

Comentários

comentários