Funcionários dos Correios podem ser os próximos a entrar em greve

correiosOs bancários estão em greve a quatro dias e os trabalhadores da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) devem ser os próximos a deflagrar paralisação do trabalho pelo Brasil, incluindo Mato Grosso Sul, que já apontou greve para iniciar semana que vem. Os servidores do Estado, já rejeitaram por unanimidade a proposta de reajuste salarial de 6,74% e diminuição dos benefícios. Os funcionários deliberaram pelo indicativo de greve a partir do próximo dia 14, em assembleia realizada nesta quinta-feira (8), em Campo Grande. A categoria recusou as propostas apresentadas pela empresa.

A presidente do Sintect (Sindicato dos Trabalhadores nos Correios, Telégrafos e Similares), Elaine Oliveira, defendeu a rejeição da proposta da ECT, pois não contempla em nada a categoria. Além de que a dirigente sindical afirma que o Estado não poderá ser diferente, pois pelo Brasil, está sendo unânime a rejeição da proposta. “Ainda teremos alguma negociação até o dia 14. Mas se continuar com essa proposta a greve vai acontecer em nível nacional. Não tem como aceitar esta situação”, disse.

O diretor do Sintect, Wilton dos Santos Lopes, foi mais enfático e detalhando apontou que já havia e que chegou ainda mais retrocessos pela proposta da ECT. “Além de impor arrocho salarial, ataca os benefícios vale-alimentação, auxílio-creche e extingue o vale-peru (talão extra do vale-alimentação de dezembro) e também o vale-cultura”, explicou o dirigente.

Lopes ainda falou e disse mostrar a contradição da empresa quando afirma não ter recursos, para contemplar os servidores, como todo o sistema da empresa, “mas aumenta o salário do presidente, cria cargos com altos salários no Postal Saúde e tem gastos enormes com patrocínios”, afirmou.

A categoria decidirá definitivamente pela greve, na próxima assembléia, que acontecerá no dia 14.

Comentários

comentários