Frio mata ao menos 25 pessoas na Europa

Ruas europeias estão tomadas pela neve (Foto: Arquivo UOL/Via EFE)

Temperaturas congelantes e tempestades de neve mataram pelo menos 25 pessoas na Europa central no fim de semana, principalmente na Polônia, após o termômetro na região ter ido abaixo de 30 graus Celsius negativos em alguns lugares.

O rio Danúbio estava lentamente se congelando em Budapeste, algo raro nos últimos anos.

A poluição do ar, principalmente de partículas de poeira, forçou reduções de produção de grandes poluidores na República Tcheca e na Polônia. Para ajudar a melhorar a qualidade do ar, autoridades zeraram a tarifa do transporte público em Varsóvia e em Cracóvia.

Na Polônia, 17 pessoas morreram de frio no fim de semana, de acordo com o governo, elevando o total de mortos desde novembro para 65. 

A mídia tcheca disse que seis tchecos, a maioria sem-teto, morreram no fim de semana, quatro deles na capital Praga. Diversas estações climáticas nas montanhas tchecas registraram temperaturas abaixo de 30 graus negativos, incluindo 34,6 graus negativos nas montanhas de Sumava, sudoeste do país.

O instituto de previsão hidrometeorológica da República Tcheca prevê a continuidade de baixas temperaturas na região nos próximos dias, com temperaturas noturnas de 20 graus negativos na manhã de terça-feira em parte do nordeste.

A agência de notícias estatal húngara MTI relatou no domingo que mínimas recordes foram alcançadas nacionalmente e em Budapeste, com 28,1 graus negativos e 18,6 graus negativos, respectivamente.

Dois sem-teto morreram congelados na Eslováquia no fim de semana. Na Bulgária, a neve e ventos fortes bloquearam rodovias e deixaram mais de 75 mil casas no nordeste do país sem eletricidade no fim de semana. (Com Reuters)

Comentários

comentários