Frentista sofre injúria racial por não deixar cliente furar fila

Um frentista de 26 anos, foi vítima de injúria racial na noite de ontem (01), em um posto de gasolina no centro da Capital. O caso teria ocorrido porque a acusada, uma mulher de 37 anos, queria furar fila para abastecer o veículo.

images

De acordo com informações do boletim de ocorrência, o posto de gasolina localizado na rua Marechal Rondon estava cheio, quando a acusada chegou ao local e tentou furar fila para abastecer o veículo primeiro. O frentista disse que não iria abastecer o carro e que ela teria que entrar na fila. Com a recusa da vítima, a cliente começou a xingá-lo e insultá-lo dizendo: “Quem você pensa que é? Você acha que eu dependo desse seu salário para sobreviver? Seu gordo, pamonha, retardado, seu preto. Eu vou acabar com você, eu sou amiga do dono do posto”.

Diante da situação, a vítima procurou a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro e registrou o boletim de ocorrência. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Kerolyn Araújo

Comentários

comentários