França inicia ofensiva com bombardeio ao Estado Islâmico

França ataca SiriaO Ministério da Defesa da França informou que o país iniciou seus contra-ataques, com ao menos dez bombardeios à capital do autoproclamado califado do grupo jihadista, Raqqa, na Síria.

Segundo o ministério, foram atingidos um centro de controle e comando, um campo de recrutamento, um depósito de munição e um campo de treinamento. Ao total, foram 20 bombas utilizadas.

Em setembro, a França atingiu um campo na província oriental de Deir ez-Zor, próximo do posto de fronteira de Bukamal. Ali, o EI conecta suas forças presentes na Síria e no Iraque. Ao menos 30 pessoas morreram, entre eles 12 meninos-soldados. A França também atacou Raqqa em outubro.

Os ataques de sexta-feira em Paris deixaram 129 mortos e mais de 350 feridos, muitos em estado grave.

A polícia francesa informou que três irmãos franceses estão envolvidos nos ataques terroristas em Paris. Um deles morreu nos atentados, o segundo foi preso e depois libertado na Bélgica, enquanto os serviços de segurança ainda procuram pelo terceiro, que pode estar em fuga pela Europa. A Justiça belga emitiu uma ordem de detenção internacional contra o suposto fugitivo, depois de prenderem sete ligados aos atos terroristas, três no sábado e quatro neste domingo.

Outro homem suspeito ainda é procurado pela polícia francesa, com um recado de que ele é perigoso. Abdeslam Salah, de 26 anos, seria um cidadão francês de origem belga que alugou outro veículo visto perto do Bataclan. Segundo o “El País”, ele teria papel logístico e o alerta em busca por ele se estendeu à Espanha.

Outro dos suspeitos é seu irmão, Ibrahim Salah, de 31 anos. Ele morreu nos ataques. Um terceiro identificado tinha 20 anos e se explodiu no Stade de France.

De acordo com o “New York Times”, funcionários de alto escalão contaram que os terroristas teriam se comunicado de maneira criptografada com membros conhecidos do Estado Islâmico na Síria.

Fonte: Jornal do Brasil

Comentários

comentários