Força Tarefa ouve os 10 acusados de desviar R$ 2,6 milhões nesta terça

Todos os investigados da Operação Lama Asfáltica, presos na semana passada, serão ouvidos na tarde desta terça-feira (17) pelos promotores de Justiça que formaram força-tarefa e pediram as prisões do ex-secretário e ex-deputado federal Edson Giroto (PR), do empresário João Amorim, proprietário da Proteco Engenharia, de sua secretária Elza Araújo (cumpriu domiciliar devido à gravidez de risco) e de outras sete pessoas.

Promotor Thalys Franklin de Souza, que apura irregularidades - Foto: Divulgação / MPE
Promotor Thalys Franklin de Souza, que apura irregularidades – Foto: Divulgação / MPE

As oitivas estão programadas para começar às 13h00 na sede do MPE, no Parque Veraneio, e todos os relacionados nessa investigação serão ouvidos na sequência. O caso corre em segredo de justiça e por isso não foi divulgado qual será a sequência das oitivas.

Nesta segunda-feira (16), os advogados de investigados foram ao Ministério Público para contatar os promotores da força-tarefa e serem informados dos horários que seus clientes prestarão depoimento. Conforme apuração, todos foram recebidos e notificados do horário da oitiva.

Os investigados devem chegar em carro próprio ou de seus defensores e devem evitar o contato com a imprensa. Contudo, eles precisarão passar pela guarita da sede do Ministério Público Estadual.

INVESTIGAÇÃO

O Ministério Público Estadual tem duas frentes para apurar. desvios em obras de duas rodovias, a MS-171, perto de Aquidauana, e a MS-228, em Corumbá.

Por conta dessas apurações, que correm em segredo de justiça, pelo menos oito investigados já foram presos, entre eles o ex-deputado Edson Giroto e o empresário João Alberto Krampe Amorim dos Santos.

Pela apuração de desvios na MS-228, o MPE divulgou que o contrato em questão tinha valor de R$ 6,8 milhões e o desviado seria na ordem de R$ 2,9 milhões.

Na MS-171, não foram divulgados números pelos promotores. Na sexta-feira (13) à noite, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul informou que o juiz Carlos Alberto Garcete deu decisão favorável para a prisão temporária, de cinco dias, de dez investigados. No sábado (14), o desembargador de plantão, Claudionor Duarte, determinou a soltura de todos.

Os investigados nessa etapa são Edson Giroto, Elza Cristina Araújo dos Santos, João Alberto Krampe Amorim dos Santos, Maria Wilma Casanova Rosa, Maxwell Thomé Gomez, Rômulo Tadeu Menossi, Wilson Cabral Tavares, Wilson Roberto Mariano de Oliveira, João Afif Jorge e Donizete Rodrigues da Silveira.
O promotor responsável por conduzir o caso é Thales Franklyn de Souza.

Comentários

comentários