“Fora Temer” chega a Campo Grande em manifestação convocada para hoje

Fora TemereCom um ‘pouco de atraso’, o “Fora Temer” chega a Campo Grande, em manifestação que está sendo convocada e foi marcada para ocorrer na começo da noite desta segunda-feira (5). O protesto que está programado para o centro da Capital, é contra o atual recém instalado governo federal, na pessoa do agora presidente da Republica, Michel Temer, que já vem ocorrendo nas maiores Capitais de Estados pelo Brasil, bem como de outros países. Ações já vinham ocorrendo antes do fim processo de Impeachment de Dilma Rousseff e aumentaram da última quarta-feira, 31 de agosto, quando se concretizou a cassação da então presidenta e Temer tomou posso definitiva na tarde daquele dia. Neste domingo (4) houve um ‘auge’ de pessoas na rua de grandes cidades do País, como São Paulo, que segundo informações extra-oficiais, reuniu pelo menos 100 mil pessoas.

O protesto aqui, denominado “Fora Temer, Campo Grande em Defesa da Democracia”, como ocorreu pelo País, vem de Movimentos sociais e grupos independentes, contrários não somente a pessoa do presidente. Mas, ainda pela forma que ocorreu todo o processo de Impeachment e já antecipando contrariedade a medidas que podem tirar Direitos Sociais e trabalhistas da maioria dos brasileiros, anunciados pela atual gestão. Hoje, apesar do dia amanhecido com tempo ruim de chuva e gelado, que pode estragar ou adiar o evento, há a organização do protesto para iniciar as 18 horas, na Praça do Rádio Clube, em Campo Grande.

O evento foi marcado pelas redes sociais e tinha 1,4 mil convidados até as 10 horas de hoje. As justificativas na página é pela defesa a “democracia” e o resultado das eleições. Entre as pautas que serão levadas às ruas estão o fim das especulações sobre a reforma da Previdência, além da denúncia e repúdio às privatizações de estatais. O ato ainda propõe “Diretas Já”, em novas e imediata eleições diretas para presidente.

O grupo pretende reunir pelo menos mil pessoas no primeiro manifesto contra o governo Temer. O atual presidente Michel Temer (PMDB) foi alvo de manifestações ontem em capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba. A capital paulista teve o maior ato, que reuniu cerca de 100 mil pessoas, segundo seus organizadores.

Foto: Werther Santana / O Estadão
Manifesto de ontem (4) (Foto: Werther Santana / O Estadão)

Semana toda e com “confusão controversa”

Em São Paulo, a semana foi marcada por protestos contra o impeachment de Dilma Rousseff e por pedidos de Fora Temer. Houve protestos de segunda a sexta-feira e, em todos, houve repressão da Polícia Militar e violência. Em um deles, uma manifestante apresentou ferimentos no olho e corre o risco de perder a visão. Nos últimos protestos, foi constatada a presença de black blocs, com depredações de bancos e de lojas.

O presidente Michel Temer classificou no sábado  (3) de “pequenos e depredadores” os protestos que ocorreram nos últimos dias contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em algumas cidades brasileiras. De acordo com ele,  as manifestações são reações naturais diante do momento “politicamente complicado”, mas não comprometem o início do governo porque são promovidas por “40 pessoas que quebram carro”.

Comentários

comentários