Fora do G-4, Santos e Palmeiras lutam para “salvar” 2016 com Libertadores

Para que possam sonhar com um 2016  movimentando e com os cofres mais recheados, Santos e Palmeiras só têm um caminho: vencer a Copa do Brasil, na próxima quarta-feira. Até o início da 37º rodada do Brasileirão, no último sábado, os rivais tinham alguma chance de terminar o campeonato nacional no G-4. Para o Peixe, a possibilidade era mais real; ao Verdão, restava uma combinação improvável de resultados.

Ricardo Oliveira, atacante do Santos (Foto: Divulgação )
Ricardo Oliveira, atacante do Santos (Foto: Divulgação )

Agora, nem Peixe, nem Verdão tem objetivos no Brasileiro. Vaga na Libertadores só com o título do mata-mata. O campeão na Arena Palmeiras não levantará apenas o troféu, mas aumentará as arrecadações em 2016, com direitos de televisionamento, bilheterias e eventuais premiações. Por isso, a classificação virou obsessão.

Com a vantagem do empate nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), fora de casa, o Alvinegro tem dois planejamentos para a próxima temporada – um com, outro sem Libertadores. O superintendente de esportes santista, Dagoberto Santos, disse recentemente, porém, que o Peixe trabalha, por enquanto, com a possibilidade de disputar a América.

Por isso,  contratou o experiente volante Cristian Ledesma, de 33 anos, e está renovando com os principais jogadores do elenco, como Ricardo Oliveira e David Braz. Caso não se classifique para a competição continental, o Alvinegro vai buscar atletas mais jovens e baratos para 2016. Os investimentos serão bem mais modestos.

O Palmeiras passa pelo mesmo dilema. Todo o projeto de reformulação do clube, iniciado em 2015, foi pensando em uma possível classificação para a Libertadores. Quando questionados, os jogadores contratados na atual temporada sempre destacaram que a ambição alviverde de disputar a América os seduziram.

Por isso, a pressão no Verdão também é grande por uma vaga na competição internacional. Desde o início deste ano, 25 jogadores foram contratados. O Palmeiras gastou, com a ajuda de investidores em alguns casos, cerca de R$ 40 milhões para formar o elenco. Não conseguir aumentar a arrecadação em 2016 causaria prejuízo ao clube.

O Santos é o sétimo colocado na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com 55 pontos. O Palmeiras é o 11º, com 50. O São Paulo, quarto, tem 59. Como falta apenas uma rodada para o término da competição, o Peixe e o Verdão não têm mais chances de terminarem o ano no G-4.

Globo Esporte

Comentários

comentários