“Fomento Mulher” disponibiliza em MS recurso de até 3 mil para 4200 mulheres assentadas

Humberto de Melo Pereira, Superintendente do INCRA. (Foto: Paulo Francis)
Humberto de Melo Pereira, Superintendente do INCRA. (Foto: Paulo Francis)

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), está disponibilizando as mulheres que estão em situação de assentamento o “Fomento Mulher”, que consiste em uma linha de crédito voltado à implantação de projeto produtivo sob responsabilidade da mulher titular do lote. O programa é de grande reconhecimento da importância do trabalho produtivo das mulheres da reforma agrária, e em Mato Grosso do Sul há anos movimentos como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), estão na batalha para que todas as trabalhadoras assentadas possam receber esse beneficio.

Segundo o superintendente do INCRA/MS, Humberto de Melo Pereira, em Mato Grosso do Sul esta sendo disponibilizada as linhas de crédito para aproximadamente 4200 mulheres ainda no ano de 2015. Ele destaca que o recurso é destinado para o desenvolvimento de atividades produtivas ligadas a mulher como aquisição de sementes, mudas e hortaliças, criação de pequenos animais, atividades ligadas ao artesanato, como uma maquina de costura, entre outros investimentos.

“Temos a disposição de fazer esse crédito chegar para todas as mulheres que tenham o direito a receber esse fomento. O valor é de R$ 3Mil reais liberados em uma única parcela, com prazo de pagamento de até 1 ano, com rebate de 80% do valor, ou seja, ela vai pagar apenas R$600 reais somente após a utilização do crédito”, explica.

Humberto frisa que o INCRA entre outros movimentos sociais que tem uma vinculação com a emancipação das mulheres, busca oferecer uma linha de credito subsidiada para dar ferramentas para que cada vez mais ela tenha uma condição de mulher valorizada e conquiste seu espaço na sociedade.

Toda mulher assentada que esteja cadastrada na relação de beneficiários do programa de reforma agrária e sendo a titular do lote, já tem o direito ao beneficio. Caso a mulher não seja titular, mas está cadastrada como beneficiaria do esposo ou companheiro titular, basta procurar o assentamento onde ela se encontra a assistência técnica que elabora o projeto inicial para a solicitante.

“O projeto vem para o INCRA, no qual é elaborado o contrato que é assinado pela superintendência e retorna para o assentamento para que seja recolhida a assinatura dela. Após a assinatura desse contrato o Banco do Brasil gera um cartão que será enviado a agencia do município, e assim que o recurso for liberado a solicitante é comunicada para que possa utilizar o mesmo”, finaliza”.

Paulo Francis

Comentários

comentários