Flávio César e Siufi negam articulações na Câmara para eleger nova presidência

O presidente interino da Câmara Municipal de Campo Grande afastou qualquer articulação para a eleição de uma nova presidência da Casa, em função do afastamento do presidente Mário César (PMDB), determinado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), a pedido do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público Estadual (MPE).

DSC_0017
Presidente da Câmara, Flávio César Foto Silvio Ferreira

“Nós estamos substituindo, da melhor forma possível, ao vereador Mário César (PMDB), que é o presidente da Casa, temporariamente afastado e não é o momento para se discutir nenhum tipo de articulação nesse sentido”, alegou Flávio César.

Outro nome sempre cotado para a liderança da Casa, o vereador Paulo Siufi (PMDB), declinou de qualquer conjectura de seu nome para a presidência da Câmara.

Foto Silvio Ferreira
Vereador Paulo Siufi (PMDB) Foto Silvio Ferreira

“Na última ocasião em que tive a oportunidade de exercer essa função fiz questão de declarar que a minha contribuição nesse sentido já havia sido dada”, afirmou.

Questionado se, o momento de turbulência pelo qual passa a Casa – com integrantes investigados pela Operação Coffee Break -, não é natural que se discutam mudanças na direção da Câmara, Siufi -, um dos parlamentares investigados pela Operação Coffee Break, do Gaeco -, afirmou: “sempre acreditei, e continuo acreditando, na postura e nos bons costumes dos parlamentares. E disse ontem que a abertura da comissão de ética se faz necessária até por conta dos excessos de alguns vereadores tenham cometido”. Nesse contexto, o vereador sentenciou: ” Acredito que esse reordenamento tende a acontecer sim.”

Apesar de admitir a possibilidade, assim como Flávio César, Siufi também defendeu que “este não é o momento para se discutir mudanças na direção da Casa”, mas ao ser questionado se o espaço que o vereador Professor João Rocha vem ganhando como presidente de duas comissões da Casa – a que analisa a situação do prefeito afastado Gilmar Olarte (PP), e a recém criada comissão permanente de ética da Câmara -, não é um forte indício dessa tendência, Siufi considerou Rocha “um bom nome” a ser considerado pela Casa para assumir à presidência no futuro

Silvio Ferreira

Comentários

comentários