Flamengo tropeça, e Náutico arranca empate pela Copa do Brasil

Rubro-Negro começa na frente, mas vê Timbu partir para cima no segundo tempo e arrancar empata na marra. Má fase continua assombrando o Urubu

Bastou ao Náutico ganhar coragem, quando a partida já parecia perdida, para assustar o Flamengo, igualar o placar em 1 a 1, quando restavam 15 minutos regulamentares. O time carioca sentiu o gol, não acertou mais nada, e sequer esboçou reação. Resta agora aguardar a chegada de Cristóvão Borges. E o jogo da volta da Copa do Brasil, dia 22 de julho, em Recife.

Foto Lancepress!
Foto Lancepress!

O Rubro-Negro começou tentando sair em busca do gol, mas se mostrava lento na transição da defesa para o ataque, esbarrando com frequência na aplicação tática do Timbu, que vez por outra se arriscava na frente, tanto que William Magrão quase marcou logo aos 15 minutos, num chute forte de longe: Paulo Victor desviou e a bola ainda acertou a trave esquerda. Mesmo assim, dada a necessidade, pois faz a segunda partida fora de casa, e graças à movimentação dos homens do meio-campo, o Flamengo conseguiu chegar em pelo menos três ocasiões, as duas primeiras com Alecsandro, em cabeçadas. Aos 28, Júlio César fez ótima defesa. E aos 37, livre na área, o centroavante apanhou a rebatida do goleiro, em conclusão de Artur Maia, mas mandou por cima da baliza

No entanto, e como ocorre habitualmente, o time carioca errou passes em excesso, notadamente nos contra-ataques. O Náutico já não incomodava. Assim, aos 42, Caceres testou no travessão, após cobrança de escanteio, e Wallace, também de cabeça, fez 1 a 0.

Veio a etapa derradeira e a equipe pernambucana não só permaneceu recuada, como já não conseguia articular o futebol do começo da partida. Almir saiu machucado, para a entrada de Márcio Araújo. Logo, o Flamengo ganhou mais espaço, e a possibilidade de criar maior número de oportunidades, todas desperdiçadas. Aos 21, por exemplo, Canteros recebeu de Mário Araújo e conseguiu chutar para fora, quando a torcida já comemorava.

Diante do marasmo, o técnico Levi Gomes resolveu ousar, lançando atacantes em massa. E lá se foi o Timbu para a frente. Passava da meia hora, quando Marino, o melhor em campo, deixou Douglas em boa posição para bater à esquerda de Paulo Victor, empatando o jogo. Matheus Sávio substituiu Artur Maia. O Rubro-Negro entrou no desespero.

Aos 43, Jayme de Almeida pôs Eduardo da Silva no lugar de Caceres, para tornar o time mais ofensivo. Inútil. Tudo ficou como estava. Conseguirá Cristóvão mudar tal situação?

FICHA TÉCNICA: FLAMENGO 1X1 NÁUTICO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 27/06 – 22h
Árbitro: Fransisco Carlos do Nascimento (AL)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA-SP) e Guilherme dias de Camilo (FIFA-MG)
Cartões Amarelos: Willian Magrão, Armero e Gastón
Cartões Vermelhos:
Público/Renda: 7.001 presentes/R$ 158.710,00
Gols: Wallace (42’/1°T) e Douglas (30’/2°T)

FLAMENGO: Paulo Victor; Pará, Bressan, Wallace e Armero; Cáceres (Eduardo da Silva 40’/2ºT), Canteros, Almir (Márcio Araújo 5’/2ºT)e Arthur Maia (Matheus Sávio 25’/2º T); Paulinho e Alecsandro. Técnico: Jayme de Almeida.

NÁUTICO: Julio Cesar, Guilherme, Flávio, Fabiano Eller, Gaston, João Ananias, Rogerinho (Josimar 34’/2ºT), Marino, Pedro Carmona (Renato 20’/2ºT), Douglas e Willian Magrão (Bruno Alves 30’/2ºT). Técnico: Levi Gomes

LANCEPRESS!

Comentários

comentários