Flagrado em grampo telefônico, prefeito da Capital será julgado hoje

Flagrado em  grampo — ligações telefônicas autorizadas pela Justiça -, o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), deve ser julgado nesta quarta-feira pelo TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

Prefeito Gilmar Olarte (Foto: Divulgação )
Prefeito Gilmar Olarte (Foto: Divulgação )

O progressista é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, por obter cheques de várias pessoas em troca de cargos e outras participações na prefeitura, segundo reportagem do jornal Correio do Estado.

Ele contava com atuação do então assessor Ronan Edson Feitosa de Lima. Os cheques foram descontados com agiotas ou em factorings, causando prejuízos aos titulares das contas bancárias.

O advogado do prefeito, Jail Benites de Azambuja, considera absurda e sem consistência a denúncia do Ministério Público Estadual. “Após tanto tempo sendo objeto de acusações, umas falsas e outras infundadas, o prefeito aguarda com serenidade a decisão do Tribunal de Justiça amanhã (hoje), confiante na sua inocência, esperando superar esse episódio para cuidar, com tranquilidade, da administração da cidade”, afirmou.

O caso foi investigado pelo Gaeco (Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado) depois de analisar representação de Paulo Sérgio Telles. Na representação, Telles revelou a suposta existência de quadrilha para conseguir cheques de terceiros com a promessa de vantagem na prefeitura.

Os telefones de Olarte e de outros investigados foram grampeados pelo Gaeco. As conversas interceptadas, segundo Gaeco, evidenciaram prática de crime.

Comentários

comentários