Fiscal da prefeitura sofria de transtorno bipolar e possuía desavenças

Executado com pelo menos cinco tiros na manhã desta terça-feira (16), no bairro Aero Rancho, Luiz Eduardo Lopes, 45 anos, sofria de transtorno bipolar e possuía histórico de desavenças.

Conforme informações do boletim de ocorrência, a esposa da vítima relatou que o marido sofria de transtorno bipolar e, por isso, tinha comportamento agressivo tanto no ambiente familiar quanto no trabalho, além de possuir várias desavenças no bairro onde morava.

Ainda segundo informações do registro policial, a vítima se envolveu em uma briga há 15 anos atrás e foi ‘jurado’ de morte por um homem que mora no bairro Tiradentes. A esposa da vítima não soube informar se o marido estava sendo ameaçado de morte.

Luiz morreu no local. Foto: Ivan Silva
Luiz morreu no local. Foto: Ivan Silva

O crime

Luiz seguia pela rua Raquel de Queiroz, quando recebeu sinal de parada de um veículo Fiat Pálio da cor prata que seguia atrás. Ao estacionar, os autores pararam o carro ao lado e dispararam os tiros contra a vítima, que morreu na hora.

A vítima era advogado e fiscal sanitário da prefeitura de Campo Grande. No veículo de Luiz, a polícia apreendeu cápsulas deflagradas e acredita que ele tenha sido morto com tiros de revólver calibre 38.

O caso está sendo investigado pela 5ª Delegacia de Polícia Civil.

Comentários

comentários