Fim de semana terá chuva de meteoros gerados pela poeira do cometa Halley

O Globo

Imagem produzida pela Nasa mostra um meteoro de brilho intenso – NASA

Os amantes da astronomia poderão aproveitar as madrugadas deste fim de semana para observar a chuva de meteoros Orionídeos, que tem seu pico previsto para a noite de sábado para domingo. O evento acontece anualmente, quando o planeta cruza a nuvem de poeira deixada pelo cometa Halley, mas neste ano a observação será facilitada por coincidir com o período de transição da Lua nova para crescente.

Apesar de não ser a mais intensa, a chuva de Orionídeos é uma das chuvas de meteoros mais importantes do calendário anual por ser vista de praticamente todo o globo — a exceção é o continente da Antártica. Seu radiante — ponto no céu de onde surgem os meteoros — está na constelação de Órion, famosa pela figura de um caçador, cujo cinturão é conhecido popularmente como “Três Marias”.

Os meteoros, conhecidos popularmente como estrelas cadentes, são fenômenos luminosos provocados pela queima de pequenos fragmentos espaciais na atmosfera da Terra. As “chuvas de meteoros” acontecem quando o planeta passa por uma nuvem de detritos criada pela passagem de um cometa. No caso de Orionídeos, a nuvem foi deixada pelo famoso cometa Halley, o único de período curto visível a olho nu da Terra. Sua última passagem pelo planeta aconteceu em 1986, e a próxima está prevista para 2061.

A estimativa é que a chuva de Orionídeos registre entre 20 e 25 meteoros por hora. Para a melhor observação, astrônomos recomendam que as pessoas procurem um local afastado das grandes cidades, pois a poluição luminosa prejudica a visibilidade. O melhor momento para observação está previsto para 2h da madrugada de sábado para domingo.

Comentários

comentários