Filme de Fellini abre a Mostra de Cinema Italiano no MIS

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Começou na noite desta segunda-feira (21), no Museu da Imagem e do Som, a Mostra de Cinema Italiano, com clássicos de grandes diretores, como Federico Fellini, Ettore Scola, Pier Paolo Pasolini e Bernardo Bertolucci. O filme “A Estrada da Vida”, que ganhou o primeiro Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de Fellini, estreou a Mostra, que vai até sexta-feira, sempre às 19 horas, com entrada franca.

Em A Estrada da Vida, Gelsomina, interpretada pela esposa de Fellini, Giulietta Masina, é vendida pela mãe para o brutamonte Zampanò (Anthony Quinn), estrela de um número em que arrebenta correntes amarradas em seu corpo. A jovem auxilia Zampanò e passa a também ser apresentar como palhaça, seguindo o estilo de Chaplin. A garota é constantemente maltratada pelo homem, que ainda a agride sempre que tenta fugir. Quando os dois se juntam a um circo, Gelsomina fica encantada com Bobo (Richard Basehart), provocando ciúmes em Zampanò.

“A Mostra começa com um filme de um dos maiores realizadores italianos, Federido Fellini, um clássico que deu o primeiro Oscar a ele e lança sua mulher como atriz. O CineMIS é realizado com parceria do Circolo Italiano Guglielmo Marconi com curadoria de Pietro Luigi. São pessoas interessadas pela língua italiana e por esse tipo de cinema. Acreditamos nesse público e fizemos uma programação diversificada para que mais pessoas venham”, diz Marinete Pinheiro, coordenadora do MIS.

Daniel Almeida Machado, estudante de Letras da UFMS, compareceu porque gosta muito de cinema. “Tenho paixão pelo cinema e sempre que tem as mostras no MIS eu venho. Conheço Felini que para o neorrealismo foi um marco”. A servidora pública dos Correios, Gabriela Rocha, também gosta de cinema e acompanha as mostras do MIS. “É uma belíssima oportunidade de ver filmes de outras nacionalidades. Para isso, nada melhor que uma tela grande, melhor que a televisão. Nesta semana o que me deixou mais curiosa foi o filme do Fellini, que é o diretor mais conhecido da programação”.

Ana Lúcia, funcionária pública, estuda italiano na UCDB há um ano e ficou sabendo da Mostra por seu professor. “A gente não tem muita oportunidade de ver filmes italianos. Eu vejo muito pela internet. Os italianos são muito parecidos com a gente, são festeiros, eu gosto. Estive na Europa mas não fui para a Itália. Da próxima vez eu vou”.

Os amigos Carlos Ney Matos Perez, autônomo, e Lara Elias, estudante de Direito, são frequentadores assíduos das Mostras do MIS. Lara ficou sabendo da Mostra de Cinema Italiano por um e-mail que recebeu e convidou Carlos. “Gostamos de cinema, ainda mais os filmes do Fellini”. Carlos viu trechos do filme da abertura na TV a cabo. “Gosto da cultura italiana. O filme italiano tem um toque de romantismo, é diferente dos filmes americanos, que têm mais pancadaria. Pena que às vezes não é valorizado. Sempre que tem as mostras no MIS eu venho, gosto de ver o que é diferente”.

Nesta terça-feira será exibido o filme Ágata e a tempestade, de Silvio Soldini. Trata-se de uma comédia romântica de 2004. Amanhã é o dia de “Feios, sujos e malvados” de Ettore Scola. “Robopag – Relações Humanas”, com direção de Jean-Luc Godard e Pier Paolo Pasolini será exibido na quinta e “A Morte”, com direção de Bernardo Bertolucci, encerra a Mostra na sexta-feira. O MIS fica no Memorial da Cultura e da Cidadania, na Fernando Corrêa da Costa, 559.

Comentários

comentários