Fiems divulga os finalistas do Prêmio MS Industrial de Jornalismo 2016

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Após uma semana de análise da Comissão Julgamento formada por júri técnico de jornalistas de entidades ligadas à indústria e homologação pelo Comitê Organizador composto pelos diretores da Fiems Julião Gaúna, Altair da Graça Cruz, Antônio Breschigliari Filho e Robson Moreira, a Fiems divulgou, nesta sexta-feira (11/11), os finalistas do Prêmio MS Industrial de Jornalismo 2016, que vai distribuir R$ 72 mil para as melhores reportagens que retrataram o setor em Mato Grosso do Sul, além do grande prêmio, uma viagem para Las Vegas (EUA), com direito a acompanhante e tudo pago, concedidas aos grandes vencedores das modalidades Capital e Interior.

Os vencedores serão anunciados e a premiação entregue em uma grande festa, que será realizada no dia 18 de novembro, no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), em uma noite que também homenageará os profissionais da imprensa sul-mato-grossense. O suspense em torno do apresentador do Prêmio deste ano – sempre um nome de peso do Jornalismo nacional – é fator à parte e, como nos anos anteriores, será revelado às vésperas do evento.

Finalistas

Na modalidade Capital, as finalistas na categoria Jornalismo Impresso são as matérias “Em MS, um trabalhador sofre acidente a cada 15 minutos”, do jornalista Osvaldo Júnior, e “No caminho, havia uma pinguela: trabalhadores enfrentam dificuldades para chegar a polo industrial”, da jornalista Lucia Morel, ambos do Correio do Estado. Na categoria Telejornalismo, as matérias finalistas são “Indústria Sul-Mato-grossense: Desafio e novas oportunidades”, do jornalista Rodrigo Grando, e “Cooperativas Evolução”, do jornalista Edevaldo do Nascimento, ambos da TV Morena.

A categoria Internet tem como finalistas os trabalhos “Inovação Industrial: Empresas de MS aliam crescimento com criatividade”, da jornalista Aliny Mary Dias (Portal Correio do Estado), e “No calor da crise, fábricas locais de sorvete põem a mão na massa e driblam dificuldades”, do jornalista Cleber Gelio (Midiamax). Na categoria Fotojornalismo, as fotografias finalistas foram publicadas nas matérias “No calor da crise, fábricas locais de sorvete põem a mão na massa e driblam dificuldades”, de Cleber Gelio (Midiamax), e “Ampliação de fábrica de celulose consome 3 maracanãs em concreto”, de Anderson Viegas (Portal G1 MS).

Na modalidade Interior, as finalistas na categoria Jornalismo Impresso são “Independência de municípios do interior do MS veio com a Industrialização”, do jornalista Jota Menon (Jornal Maracaju Hoje), e “Liderança ao comércio exterior”, do jornalista Valdecir Antônio (Revista Jornal do Povo). Na categoria Internet, os trabalhos finalistas são “Pensamento Sustentável da prática industrial”, da jornalista Glarin Bif (Tá Na Mídia Naviraí), e “Depois de pronto Horizonte 2 vai gerar 3 mil novos postos de trabalho em Três Lagoas”, da jornalista Rayani Santa Cruz (Portal de Nótícias Radio Caçula). Na categoria Fotojornalismo as fotografias finalistas foram publicadas nas matérias “Marta Campos Underwear mantém produtividade, enquanto mais de mil empresas fecharam as portas este ano em Mato Grosso do Sul”, de Ademir Almeida (Douranews), e “Indústria Investe em tecnologia para aumentar a produtividade”, de Flávio Verão (O Progresso).

Julgamento

A Comissão de Julgamento deste ano foi composta por Adriana Nicácio, assessora de imprensa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Mara Schuster, assessora de imprensa do MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços), o professor doutor Oswaldo Ribeiro, coordenador do curso de Jornalismo da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), Fernando Rodrigues, coordenador de Comunicação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT/ 24ª Região) e Robson Del Casale Moreira, diretor de Comunicação e Marketing da Fiems.

Os trabalhos foram avaliados pelo júri nas modalidades Capital e Interior. Da Capital, saíram dois finalistas de cada categoria: Impresso, Telejornalismo, Internet e Fotojornalismo. Os primeiros lugares destas categorias da Capital levam para casa o prêmio de R$ 9 mil, enquanto os segundos colocados ganham R$ 3 mil. Já na modalidade Interior são três categorias (Jornalismo Impresso, Internet e Fotojornalismo), também com dois finalistas de cada uma. Os primeiros colocados nas categorias receberão R$ 6 mil e os segundos R$ 2 mil.

Entre os 14 finalistas, duas reportagens foram indicadas pelos jurados como as grandes vencedoras das modalidades Capital e interior. Estes, além do prêmio em dinheiro, serão premiados com a viagem para Las Vegas, com direito a um acompanhante, incluindo passagens aéreas de ida e volta, traslado e hospedagem de cinco dias e quatro noites.

Serviço – A cerimônia de entrega do Prêmio MS Industrial de Jornalismo 2016 será às 19 horas do dia 18 de novembro no Edifício Casa da Indústria, na Avenida Afonso Pena, 1.206, Bairro Amambaí, em Campo Grande (MS). Confirmação de presença pelo e-mail [email protected]

Comentários

comentários