Festival de Música do Servidor premia vencedores no próximo sábado

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A final do Festival de Música do Servidor, com a premiação dos vencedores, acontece no próximo(25), em uma festa musical que vai reunir os 54 candidatos participantes e a apresentação dos seis finalistas. O evento acontecerá no Teatro do Colégio Dom Bosco, a partir das 19 horas, com entrada gratuita.

Promovido pela Prefeitura de Campo Grande, sob a coordenação conjunta da Secretaria Municipal de Administração (Semad) e Fundação Municipal de Cultura (Fundac), o Fescamp atraiu, ao longo das etapas eliminatórias e semifinais uma plateia assídua. Os organizadores lembram que, a cada fase do Festival, aumentava a torcida formada por familiares, amigos e servidores que prestigiavam os colegas participantes com torcidas e incentivo.

Após passar pela fase eliminatória e semifinal, chegaram à final os candidatos Anderson Souza Melo (Semsp), Melissa Reis Fonseca Budib (Sesau), Ariadne Samara Azevedo Cruz Farinéa (Semed), André Luiz Alves (Emha), Denise da Silva Irlandes Nunes (Semed) e Raquel Ferreira de Souza (Seintrha). O Festival, que começou no dia 9 de maio, teve a participação de 60 candidatos, número considerado expressivo para uma primeira edição.

Premiação – O Festival reserva ao primeiro lugar o prêmio de R$ 3,5 mil e troféu personalizado, o 2º lugar receberá R$ 2,5 mil e troféu, o 3º colocado levará além do troféu, o prêmio de R$ 1,5 mil. O Festival terá ainda um prêmio especial para a melhor composição.

A Comissão Julgadora do Festival é formada por formada por Iuri Costa Macedo, Amarelo Produtor, Lilian Veron Garcia, Juliana Zorzo e o maestro Eduardo Martinelli. Nas apresentações são julgadas a afinação, a voz, o conjunto, a postura de palco e a composição de letra.

Talentos – O jurado Amarelo Produtor destaca que o Festival foi bem além das expectativas chamando a atenção dos jurados pelo aprimoramento musical a cada etapa. “Tivemos a oportunidade de presenciar vozes, postura de palco e uma produção acima da esperada. Músicos que agregaram valor desde os instrumentos, até o figurino e a maquiagem”, salientou.

O músico, compositor e instrumentista Iuri Costa Macedo que presenciou, desde a primeira etapa, a evolução dos candidatos, pontuou duas situações surpreendentes do Festival: a primeira delas é qualidade dos arranjos musicais e a segunda é a dificuldade em escolher os candidatos devido à qualidade dos participantes. “Vimos muitos estilos, desde o lírico, a MPB, o gospel até o rock e o reggae, deixando um Festival bastante eclético e interessante, com talentos que podem buscar a profissionalização. Esperamos que surjam outras edições”, completou.

De acordo com Thiago Fogaça, um dos organizadores do Festival, o público terá boas surpresas na grande final. “Os candidatos estão ensaiando muito e não vai faltar criatividade. Vamos ver um grande espetáculo”, garantiu. A competição começou a ficar muito mais acirrada na semifinal quando os melhores de cada fase eliminatória tinham mostrar o melhor para chegar á final. Thiago recorda que nas semifinais a diferença de pontuação foi mínima. “Isso acabou dando muito trabalho para os jurados. Porque todos estavam muito determinados para vencer”, argumentou.

Comentários

comentários